ALE GARATTONI

Mãe da Maria Helena, profissional de branding e apaixonada por moda e beleza! Meu blog é o espaço "hora do recreio" no qual divido dicas, inspirações, apostas no universo das it girls e minha vida primeira pessoa na maternidade.

To Grávida

Mães, é inevitável: vocês serão julgadas!

11 de julho de 2016

Não precisei de mais do que algumas semanas (ou teriam sido dias?) para entender que o universo da maternidade é embalado em julgamentos. Em inevitáveis julgamentos. Não há como fugir deles. Mães julgam mães. Não-mães julgam (mais ainda) mães. Homens julgam mães. Aquelas que tiveram filhos há muito tempo, nossa, como julgam. E as que nem pretendem ter filhos um dia também trazem seus julgamentos do “se fosse comigo” na ponta da língua. E quer saber? Não é por mal. Eu já julguei, você já julgou. A gente julga por ter valores diferentes, a gente julga por instinto, a gente julga porque às vezes nem percebe que está julgando. E não é sobre um ataque a nosso lado julgador que fala este post.

Você será julgada se marcar a cesárea; se esperar todo o tempo pelo parto normal; se mudar de ideia na sala de parto; se não abrir mão de ter o tipo de parto que planejava independente de qualquer circunstância. Você será julgada se escolher parir em casa, na água; no hospital com doula; com a presença apenas de renomados obstetras.

Você será julgada se não amamentar; se amamentar pouco tempo; se tiver problemas para amamentar e desistir; se tiver problemas e insistir; será julgada se amamentar até os três anos da criança. Com o filho maiorzinho, será julgada se liberar brigadeiro; também será julgada se proibir açúcar e industrializados sem espaço para negociação. E não, não são apenas os extremos que causam julgamento: bastará o biscoito no fim de semana para receber os dedos apontados.

Você será muito julgada se não for pessoalmente levar o filho na sala de aula. Mas também será se fizer o tipo “mãe de porta de escola”. Será julgada pela professora, pelas outras mães. Em qualquer uma das opções, será!

Você será julgada se parar de trabalhar para ficar com a criança em tempo integral; se decidir dedicar sua vida, temporaria ou definitivamente, ao papel de mãe. Mas também será julgada se precisar trabalhar ou, pior ainda, se trabalhar sem “precisar”. Será incrivelmente julgada se disser que trabalha porque gosta. E terá julgamentos se perder uma promoção profissional em nome da maternidade ou se perder um acontecimento do filho em nome da carreira.

Horas demais, horas de menos. Disciplina demais, rigidez de menos. Criação com apego, incentivo a autonomia, cama compartilhada, nana nenê, não há decisão que te blinde. Você será julgada e não há nada que possa fazer contra este fato, é bom que entenda e aceite.

Por isso, na impossibilidade de agradar a todos, agrade a você. A seus valores, a suas crenças, a seus instintos e, sobretudo, a seu filho. Porque se você for a melhor mãe que pode e sabe ser, você será feliz. E nada faz tão bem a uma criança como estar em um ambiente de felicidade!

ale e mh

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

To Grávida

Bonecas do bem: a turma da Mariana da Orientavida

27 de junho de 2016

Sou e sempre fui fascinada por bonecas de pano – cada vez menos comuns, desde a minha geração. Por essa razão, já me apaixonei de cara quando vi as fotos da turma da Mariana, que, não bastasse ser linda, ajuda também um projeto sério e muito bacana. As cinco bonequinhas são produzidas pela ONG Orientavida, que capacita mulheres carentes para trabalhares como artesãs, inserindo-as no mercado de trabalho e gerando, assim, uma fonte de renda para elas. Paralelamente aos projetos habituais, o grupo acaba de lançar a turma da Mariana com um propósito muito especial.

turma-da-mariana-orientavida

Mariana e suas amigas Bella, Julia, Leticia e Dulce serão produzidas para gerar – além da renda para as mulheres da Orientavida – o valor necessário para a festa de dia das crianças em outubro, com brinquedos e guloseimas para as famílias atendidas pela ONG. A meta é de apenas 300 bonecas vendidas (super alcançável, certo?), vamos nessa?! Eu já comprei a Bella, essa de casaquinho rosa e rabo de cavalo, para minha MH!

Para garantir a sua, entre em contato com o Wellington neste e-mail (vendasonline@orientavida.org.br) ou envie sua mensagem via Whatsapp para (12) 99681-1999. Cada boneca sai por R$ 120 {+ frete} e a entrega da encomenda é em até 30 dias depois da compra.

orientavida

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

To Grávida

No enxoval: o melhor amigo do banho de recém-nascidos

27 de junho de 2016

Na semana passada, comecei a acompanhar (pelo perfil @agbranding) mais de perto os perfis de instagram de marcas que conheci graças aos meus workshops AG Branding e, uau, quanta coisa legal está sendo distribuída, compartilhada, produzida entre empresas de pequenos empreendedores e profissionais liberais. E foi nesse novo passeio diário que esbarrei em um produto de enxoval de bebê que eu queria MUITO ter descoberto três anos atrás.

almofada de banho

No Baú da Luluque aliás está com uma curadoria incrível e teve um super upgrade no site, que é hoje um dos mais bacanas e-commerces para crianças –, estava a almofada de banho para banheirinha de bebê. Explico: se há uma tarefa que assusta mães de primeira viagem é o banho no recém-nascido. E falo por mim e por várias outras (eu tinha pânico de afogar minha MH!). Por ter sido uma questão tão real pra mim, me apaixonei pela ideia do bebê ficar protegidinho e encaixado na medida na banheira. A foto abaixo e este vídeo mostram melhor como funciona. Tô apaixonada, juro. Mamães em fase de enxoval, acreditem em mim!

almofada de banho

A peça está disponível nas versões azul, rosa ou branca, custa R$ 179 e é vendida aqui.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…