ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Maternidade

ToGrávida mais não, ela nasceu!

28 de junho de 2013

O título é uma brincadeirinha com o nome deste blog, mas o post, na verdade, é pra relatar como foi o meu dia D, o meu parto. Acho que, especialmente para mães de primeira viagem, esse é um momento esperado com ansiedade, curiosidade e um medinho do desconhecido. E eu, que já era uma fã de gravidez, agora sou também uma fã de dar à luz e, atendendo aos pedidos no instagram @togravida anteontem, resolvi compartilhar minha experiência para animar outras grávidas.

Devo dizer que tive sorte, porque tudo aconteceu e-xa-ta-men-te como eu desejara durante toda a gravidez. Nada de bolsa estourada no meio do shopping, nada de correria pra maternidade, nada daqueles cenários de parto de filme e novela. Tal e qual eu sonhava, meu trabalho de parto foi detectado nas consultas semanais de rotina do último mês. Sem sentir dor, sem passar perrengue.

A partir da 37ª semana, ia todas as sextas à consulta. Até completar 39, minha obstetra garantia que ainda faltava bastante, já que não havia sinal de dilatação. E eu seguia com vida absolutamente normal. Até que no feriado do dia 1º de maio, quando eu estava com 39 semanas e 3 dias, à noite, na hora de ir pra cama, senti uma dor – nada demais, apenas um incômodo forte – na parte interna das coxas. Foi a primeira vez que dormi um pouco desconfortável (até então nem o barrigão me atrapalhava), mas estava tranquila por ter consulta na manhã seguinte.

Na hora que me examinou, a médica disse que a dor era porque a bebê tinha então “encaixado” e, na maior calma, me falou a frase: “ok, tudo certo. Passa em casa para pegar suas coisas e pode ir indo pra maternidade. Nos vemos mais tarde”. Cheguei a achar que era brincadeira – a ficha não caiu na hora – e arregalei os olhos em busca da confirmação. Estava confirmado, eu já estava em trabalho de parto e com bastante contração (as contrações pareciam as mesmas que sentimos nos últimos meses, as tais “contrações de treinamento”, que não doem nem um pouco).

Eu sempre quis parto normal, pela experiência e também por não querer fazer uma cirurgia. Minha médica é super incentivadora disso e tem uma equipe de enfermeiras obstetrizes que nos ajudam nisso. Uma delas me acompanhou desde que dei entrada na maternidade às quatro da tarde. Ela vai monitorando o tempo todo, de modo que a médica só chega na hora que o parto está perto de acontecer mesmo. Isso, na minha opinião, ajuda muito a não nos deixar, às vezes em casa, esperando as contrações se intensificarem – nunca que eu ia conseguir ficar sozinha e ansiosa naquela de contar quantas contrações por minuto, qual a duração de cada uma etc, antes de ir pro hospital.

Meu trabalho de parto foi tranquilo, sem dor, porém bem demorado. A dilatação levou horas pra acontecer, mesmo que eu já tivesse muitas contrações. Fiquei no quarto das 16 até as 21h, quando dei entrada na sala de parto normal. Lá, eu, meu marido, a obstetriz e o anestesista ficávamos conversando, tudo super tranquilo. De tempos em tempos eu ouvia um chorinho de bebê vindo das salas vizinhas e chegamos a brincar que eu estava igual a Rachel naquele episódio de Friends, em que todo mundo chegava, paria e ia embora e ela seguia lá esperando!

Foi só lá pelas onze da noite que as contrações começaram a ficar mais intensas (nada que eu não tenha sentido em uma cólica na vida!) e a dilatação começou. Quando o bicho ia começar a pegar, já tomei anestesia e, pronto, nada de dor.
obs. a anestesia é uma picadinha bem incômoda, dói sim, mas dura UM SEGUNDO!
Tomei a anestesia por volta de meia-noite, mas minha pequena ainda não dava sinal – a demora era porque, apesar de encaixada, ela ainda não tinha descido como deveria. Como não havia sinal da tal descida e do aumento necessário da dilatação, no meio da madrugada a obstetriz já me preparava para a possibilidade da necessidade de uma cesárea. Eu estava tranquila – preferia o parto normal, mas, acima de tudo, queria o que fosse melhor pra minha filha.

Até que lá pelas quatro da manhã, minutos antes da chegada da obstetra – que avaliaria a possibilidade de tentarmos o parto normal –, a obstetriz me explicava o funcionamento do tal Candy Crush, eu senti uma dor. Era a tal “descida” necessária pro parto normal. Devo ter sentido uns dois minutos dessa tal dor mais forte até que a anestesia fosse reforçada e, ao me examinar, ficou constatado que estava tudo pronto. A equipe se formou, se preparou e veio o parto em si, que levou minutos. Não sentia mais nenhuma, nenhuma dor. A médica vai dirigindo o momento em que devemos fazer uma força de expulsão e, logo, logo, uma meia dúzia de “forças” depois, chegava, às cinco da manhã EM PONTO, minha pequenininha cor-de-rosa!

Sei que tanto o parto normal quanto a cesárea tem suas defensoras e eu digo sempre que o melhor tipo é aquele que combina com a gente – com nossos desejos e também com nossas possibilidades. Mas eu AMEI ter optado pelo normal, porque a cesárea é uma cirurgia e, como cirurgia, sempre limita um pouco os esforços nos dias seguintes. Pede um tempo de recuperação, coisa que no normal não existe. No mesmo dia, eu já estava pra cima e pra baixo como se nada tivesse acontecido. Outra vantagem (me perdoem a observação meio superficial, mas já que estou contando tudo tão abertamente… lá vai!) é que, fisiologicamente, o corpo entende mais rápido que acabou a gravidez e, com isso, o útero se contrai logo e a barriga tende a voltar pro lugar mais depressa – eu só fui saber disso depois, quando as pessoas ficavam chocadas ao saber que eu tinha acabado de ter bebê.
p.s. longe de mim ter pressa de voltar o corpo, engordei 22kg e ainda estou 10kg acima do que estava antes da gravidez! Mas a barriga, ao menos, já está próxima do que era!

Enfim, a intenção deste post é, única e exclusivamente relatar a minha experiência. Espero que ela possa tranquilizar outras futuras mamães – se é que alguém vai conseguir ler essa bíblia gigante que ficou o post! No geral, digo apenas para não ficarem com medo, para domarem a ansiedade (é difícil, eu sei) e para mentalizarem como querem que aconteça. Sei que nem todo mundo acredita nesse lance de força do pensamento e tal, mas não custa formar uma boa energia, né?! Boa hora para todas vocês…

RESUMO: AS DICAS ÚTEIS
1) tenha um(a) obstetra que seja partidário do seu tipo de parto favorito. Essa é uma decisão muito pessoal para ser deixada em outras mãos.
2) mentalize como deseja que seja seu parto. Se funciona ou não, não sabemos, mas mal não faz – e pra mim adiantou certinho!
3) tente não sair Google adentro. Como disse aqui no começo do blog, as pessoas tendem a compartilhar mais as coisas ruins do que as boas, daí fica parecendo que elas (as coisas ruins) são maioria – e NÃO são!
4) respeite-se! Eu, quando tenho “medinho”, prefiro não saber como será – o desconhecido pode me soar menos assustador, eu simplesmente deixo rolar. Para outras pessoas, saber antes onde está pisando acalma. Faça do seu jeito.
5) acalme-se! Controlar a ansiedade não é tarefa fácil pra uma mulher. Mas entenda que existem infinitos partos no mundo diariamente. E a natureza é muito, muito sábia!

Gravidez Ale

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

  1. Andresa nascimento Em 28/06/2013

    Parabens!!! Seu parto foi belo, uma benção de Deus!!! Estou entregando tudo a Ele, porque quero muito ter parto normal, e que fosse um pouquinho parecido c o seu. Rsr continue postando suas experiências. Felicidades




  2. Joyce Em 28/06/2013

    Que texto ótimo, mt esclarecedor!!! Tava doida pra saber
    como foi a sua experiencia, bjs




  3. Tata Rodrigues Em 28/06/2013

    Ale, tenho duas filhas e me emocionei ao ler sobre sua
    experiência. Meu sonho era o parto normal mas minha filha ficou
    numa “ótima” posição sabe……atravessada na minha barriga. Por
    isso apesar da frustração, agradeço a Deus pela cesárea pois se
    fosse na época de nossas avós, a bebe e eu estaríamos em perigo.
    Outra questão da cesárea; meu leite demorou muito a descer. Mas
    tudo passa e elas estão fortes, saudáveis, felizes e arteiras. Isso
    que importa. Beijo




  4. Phamella Calejon Em 28/06/2013

    Ale amei seu relato…Singelo e emocionante! Muita saude a
    sua linda princesinha! Fico encantada com os cliques dela no seu
    instagram! Beijos




  5. Mariana Em 28/06/2013

    Adorei o relato, Ale! Tbm quero parto normal (não que eu
    tenha muita opção, porque moro em NY), mas já peço desde já que
    seja um parto bem natural, assim como me parece que foi o seu!!
    Parabéns pela bebe!




  6. Adriana Em 28/06/2013

    Oi Alessandra, Seu relato dá força e coragem para as
    mulheres que acham que o parto obrigatoriamente é muito sofrido e
    dificil para a mulher. Se não for pedir muito, deixe o contato da
    sua médica e do seu hospital… seria de grande ajuda uma boa
    indicação de profissional competente. Obrigada
    Oi Adriana! Minha médica é a dra. Lucila Pires Evangelista.
    bjooo




  7. ione Em 28/06/2013

    Nossa Ale, que maravilha! Eu nunca fiz assim tanta questão
    de que o parto fosse normal ou cesárea, e achei que pelo histórico
    da minha família acabaria sendo normal. Mas completei 41semanas e
    nem sinal de dilatação, meu príncipe não queria sair do quentinho
    do útero… Ele nasceu num mês de julho absurdamente frio e em
    Campinas, onde eu morava na época, a temperatura estava em torno
    dos 8, 9 graus! A médica me falou da possibilidade de tomar uma
    medicação que induziria a dilatação, mas fiquei com receio por já
    ter ouvido alguns relatos de que seria muito (mas muito mesmo)
    doloroso, e enfim, optei pela cesárea, depois de conversar muito
    com ela. Foi um procedimento absolutamente tranquilo, e 24h depois
    eu já estava tomando banho, lavando os cabelos e com uma incisão
    tão pequena que parecia que ziparam meu filho antes dele nascer! Eu
    sentia alguma dor quando amamentava, pois segundo dizem é porque o
    útero está se “reposicionando” para o lugar normal, tamanho normal,
    etc, mas nem dá para chamar de dor, eram espasmos bem suaves. Já no
    segundo filho não tive opção, meu bebê nasceu duas semanas antes do
    tempo porque tive um aumento de pressão arterial e a cesariana foi
    indicação médica, pois já estava se formando um quadro de
    pré-eclâmpsia. Mas graças a Deus foi tudo bem e hoje estão aqui
    lindos e felizes meus meninos com 17 e 14 anos, respectivamente.
    Como você falou, o importante é ser assistida por um bom
    profissional que esteja em sintonia com você, e só mentalizar
    coisas boas, pensamentos positivos e no fim tudo dá certo!




  8. Luiza B. Campos Em 28/06/2013

    Alessandra, Obrigada pelo seu relato. Adorei que ele tenha
    sido sincero, com o objetivo de nos passar a sua experiência e não
    de tentar convencer ninguém disso ou daquilo. Concordo totalmente
    com as suas dicas, daria estas mesmas para as minha amigas! Também
    tive parto normal e para mim foi uma experiência inesquecível e
    maravilhosa (apesar de ter tido sim muita dor) e sobretudo foi uma
    experiência que eu não queria deixar de ter na vida, de verdade uma
    realização para mim! Beijos, Luiza




  9. Mariana Ribeiro Em 28/06/2013

    Que animador este relato! É exatamente o que desejo para o
    meu …ainda esta longe, somente em janeiro, mas desde ja mentalizo
    como desejo… Quero muito parto normal, fujo de cirurgias…
    Acredito que aquilo que é natural sera mais facil… Bjs!!




  10. Gaby Roth Em 28/06/2013

    Q delicia, parabénsU! EstoU ansiosa msm, espero q eU
    consiga ter normal e q corra tdo bem! Obrigada pelas dicas e
    conselhos ! Você precisoU de oxitocina? Tenho Um poUco de medo
    disso…. felicidades e saÚde pra baby!




  11. Gecielle Em 28/06/2013

    Amei o post, hoje em dia vejo muitas pessoas relatando que
    acham lindo o parto normal, mais sempre optam pela cesárea. Digo
    que é preciso ter coragem para o Parto Normal, no entanto é
    lindo… é natural, é mágico você contribuir para o nascimento da
    pessoinha mais importante na sua vida. Dei a luz a minha menina,
    aos 23 anos parto normal, por opção também. O desconhecido tb me
    soa menos assustador, mentalizar coisas boas faz bem e tudo (no meu
    parto) foi do jeito que sonhei e pasme, fiquei apenas 4 horas
    aguardando… não tomei anestesia então senti dor, e como, haha…
    mais valeu a pena, foi pela minha joia rara, Maria Alice. Obrigada
    por compartilhar, encorajar futuras mamães. Parabéns, tudo demais
    lindo para vocês.




  12. Ana Em 28/06/2013

    Adorei o relato Ale! Também sempre fui a favor do parto
    normal e é muito reconfortante ouvir esse relato tranquilo sobre o
    seu, num país em que ele é colocado como algo não-natural,
    assustador, perigoso, etc… Gosto muito de você desde a época do
    antigo itgirls, e respeito muito as suas opiniões: você é uma
    pessoa extremamente educada, organizada, consciente, e inteligente
    – se destaca nesse mundo da internet! Agora que estou grávida
    (beeem no inicinho ainda), esse seu texto caiu como uma luva para
    reforçar o que acredito – que meu parto será normal, a menos que
    aconteça alguma coisa que justifique uma cesárea. Parabéns pela
    filhinha e pelo trabalho no it e aqui! Beijos!




  13. Denise Em 28/06/2013

    Ale, acompanho vc pelo blog e pelo instagram desde o inicio
    da gravidez, ficamos grávidas na mesma época e nossas bebês
    nasceram praticamente no mesmo dia. Minha cesárea estava marcada
    para 3 de maio e minha bolsa rompeu no dia 1 de maio. Minha bebê
    nasceu na madrugada do dia 2, o parto foi super tranquilo e não me
    arrependo de ter optado pela cesariana, embora o pós cirurgico seja
    dificil, em poucos dias eu estava inteiramente recuperada. Beijos
    para vc e sua pequena cor de rosa.




  14. Luciana Em 28/06/2013

    Muito bacana seu relato, meu bebê também nasceu de parto normal e é tudo de bom! Muita alegria, sem dor (com anestesia) e uma emoção sem igual participar ativamente do parto!
    Fico feliz quando as pessoas compartilham boas experiência. Compartilho da mesma opinião que você!
    Parabéns pela MH!!!




  15. Pimenta e Limão Em 28/06/2013

    Muito orgulho de vc ter tido sua pequena por meio normal. Quando eu ficar grávida de novo (infelizmente perdi meu bebe antes dos 3m) com certeza vou fazer de tudo para ter o normal, e como estou acessorada por uma médica super defensora, se tiver q ser cesárea não tem problema pq sei que tiver que ser é pq é o melhor pro meu baby. Parabéns pelo parto, pela baby e por dividir tudo das coisas boas coma gente ( o google é o demo nessas horas mesmo)




  16. Priscila Em 28/06/2013

    Ale, esse post ajudou bastante a me tranqüilizar no que diz respeito a optar por parto normal, tendo engravidado após os 30 anos. Sempre me disseram que a partir dessa idade, tanto a gestação quanto o parto são mais complicados, mas pude ver aqui que é só uma questão de ter bons profissionais acompanhando todo o processo. Acho que vou repensar um pouco mais a questão do parto normal. Parabéns pela pequenina, e beijos para você e ela.
    Oi Priscila,
    NÃO caia nesse papo!! É super retrógrada essa conversa que algumas pessoas ainda vendem, de que acima dos 30 é um problema bláblábá! Cada caso é um caso e, independente da idade, basta ter um bom profissional te acompanhando! Te falo com experiência própria: tive, aos 36 anos, a gravidez MAIS tranquila que já vi! E idem o parto! Então não acredite nisso não, a complicação – de parto ou gestação – vem muito mais da genética e das condições de saúde de cada pessoa. bjobjo




  17. Juliana Em 28/06/2013

    Oi Alê, estava esperando mesmo seu relato sobre o parto de MH. Que bom que tudo correu como você queria e esperava. Obrigada por compartilhar sua experiência!
    Não sei se você conhece o blog Piscar de Olhos, mas a Roberta fez um dos relatos mais divertidos que já li sobre o assunto, veja lá, vale a pena! 🙂
    http://piscardeolhos.net/2012/11/28/o-parto-de-luna/
    Muita saúde para você e sua pequena, e sobre o It, já escrevi láno face e repito, não nos deixe! Todas entendemos seu momento mamãe, continue nem que seja com poucos , mas bons, posts. Estamos como você! Beijo grande.




  18. Cristina Campos Em 28/06/2013

    Amei ler o relato do seu parto! Acompanhei toda a sua gravidez por aqui porque também estava grávida. Meu bebê nasceu um pouco antes da MH, também de parto normal. Tive dilatação silenciosa e só senti dor no finalzinho, foram 4 horas ao todo! Me surpreendi quando a enfeimeira me disse que dos 23 partos do dia só o meu tinha sido normal. Acho que muita gente tem medo do PN por falta de conhecimento. E a recuperação realmente é tudo, só tinha engordado 9,5kg, e perdi nos primeiros 10 dias. Minha barriga já voltou ao normal e a amamentação foi perfeita desde o início. Queria sugerir um post sobre o que vestir no período de amamentação. Quando der tempo, claro! Rs




  19. Tatiana Em 29/06/2013

    Engraçado, a minha anestesia não doeu NADINHA! O meu maior medo na gravidez era a tal anestesia e acabei por não sentir nada! Na sala de cirurgia conversei com o anestesista contando meus medos e ele me explicou como funcionava tudo e como iria proceder. Isso fez com que eu ficasse muito mais calma. E em relação ao corpo, apesar de ter sido submetida a uma cesárea, depois de 15 dias já estava com a mesma barriga lisinha de antes da gravidez! E sem usar cinta. Essas coisas variam muito de mulher para mulher… Muito bom o seu relato, Alê! Beijão!!!




  20. Manubento Em 29/06/2013

    Alê, relato encorajador! Tô de 27 semanas e torcendo pelo parto normal, nada xiita, mas se der pra rolar é o que eu quero. Meu maior medo é episiotomia… Rolou no seu? Medão! Um bj em vc e na bebê e não abandone esse blog, adoro!




  21. Anne Lise Em 04/07/2013

    Ale, sábado estarei com 40 semanas e estou com o colo do útero super fechado. Ainda não senti nada diferente… Gostaria muito de ter parto normal, espero conseguir!!
    Obrigada por esse texto MARAVILHOSO!!
    Pedido: Como seu bebê está dormindo? Bjs!!




  22. Renata Em 17/10/2013

    Obrigada Ale pelo seu post, estou na 36 semana e morrendo de medo do parto normal! Agora me enchi de coragem e estou trabalhando a mentalização que acredito fielmente!




  23. Pingback: Pot-pourri “meus posts atemporais” (parte 5/5) | Ale Garattoni | Moda, Beleza, Viagens, Gravidez, Carreiras e Coisas de casa

  24. Gabi Em 04/02/2014

    AMEI !!!!




  25. luisa mate Em 20/02/2014

    ola! eu ja tive os dois partos. np entanto o último foi a 4 anos e cesaria. agora grávida de 36 semanas preferia o normal. mas tenho estou com medo do rompimento ao fazer a forca para expulsar o bebe. por favor ajude me quais os possíveis riscos para o parto normal ou devo optar pela cesaria?

    .




  26. Mayra Em 28/04/2014

    Olá Alessandra
    tudo bem?
    Por favor, vc poderia me passar o contato da clinica da Dra. Lucila?!
    Não consigo achar e gostaria muito de fazer uma consulta com ela.
    Obrigada e parabens pelo Blog.

    Oi Mayra, claro!
    O site é http://www.celulamater.com.br
    Amo a dra. Lucila! <3
    bjobjo




  27. Babi Em 30/07/2014

    Olá, Ale.
    Estou entrando na 27ª semana e já li esse post algumas vezes desde a descoberta da gravidez, o que certamente continuarei fazendo ao longo desse tempinho que tenho pela frente. Este é um relato extremamente reconfortante, perto de tanta informação assustadora que encontramos por aí. Muito obrigada por compartilhar sua experiência conosco!
    Se possível, gostaria de saber se foi submetida à episiotomia e se também ocorreu tudo de forma tranquila em relação a esse procedimento (inclusive como foi a recuperação).
    Sou sua fã de carteirinha e te acompanho há pelo menos 3 anos.
    Um beijo e que Deus te proteja sempre!




  28. Veronica Em 02/07/2015

    Estou de 40 semanas e nada!! Tbn estou esperando o parto normal!!
    Parabéns!! Bj




  29. vania Em 09/09/2015

    Que lindo seu relato, VC é de sp? Estou em busca de um (a) obstetra que compartilhe da preferência por parto normal.
    Me desculpa as perguntas invasivas mas esse profissional foi particular ou através de convênio? Obrigada bjs




  30. Carol Em 03/12/2015

    Aí gente PN com anestesia eu já teria tido 3.




  31. Maria Em 05/10/2016

    Muita gratidão por esse relato lindo! Sou mamãe de primeira viagem e 22 semanas e sua história me encheu de vibrações positivas. Acredito demais na força do pensamento e do que pede nossa essência. Parei agora de ler qualquer depoimento de Internet e é o seu que levo como referência! Obrigada!




  32. milena Em 18/05/2017

    Ale, Não acha a Dra Lucila muito fria? tenho receio de na hora do parto ela ser ríspida e eu por conta disso não me sentir acolhida.
    Obrigada


    Ao longo dos meses de gravidez, aprendi que ela não é fria, mas sim prática, objetiva! Não é mesmo uma médica que vai fazer social ou ter aquele estilo “mãezona”, mas ela é super ponta firme, nos passa muita segurança. O parto com ela foi maravilhoso, ela e equipe são nota dez e se complementam perfeitamente!
    bjobjo




Deixe seu Comentário