ALE GARATTONI

Mãe da Maria Helena, profissional de branding e apaixonada por moda e beleza! Meu blog é o espaço "hora do recreio" no qual divido dicas, inspirações, apostas no universo das it girls e minha vida primeira pessoa na maternidade.

To Grávida

Mamãe, conta aí: Dani Barton

20 de outubro de 2015

Era uma vez uma publicitária que vivia a vida louca e acelerada de São Paulo. Foi quando nos conhecemos, trabalhando no Glamurama – empresa da qual ela cuidava do departamento comercial. Até que, numa dessas mudanças radicais que inspiram até os mais conservadores, Dani Barton se mudou, por amor, para Porto de Galinhas, região paradisíaca de Pernambuco.

E é lá que ela hoje vive com o marido e a filha Bruna, de seis anos, com uma qualidade de vida incomparável. Hoje, ela está faz parte da administração e comunicação do projeto Hippocampus, que luta pela conservação dos cavalos-marinhos. Na paralela de seus ideais e de seu endereço paradisíaco, ela é mãe, como as mesmas questões, dúvidas e acertos de todas nós. E foi sobre isso o nosso papo. Conta aí, Dani….

Dani Barton

* O que toda mãe sabe, mas não conta (e a gente só descobre depois de dar à luz)?
Que temos capacidade de passar noites acordadas e que o amor é o melhor remédio. E também que toda mãe, mesmo sendo a pior cozinheira do planeta, faz a comida mais gostosa do mundo para a filha.

* Se você fosse garota-propaganda de um produto baby, qual seria?
Kit-praia!

* O que você faz quando quer se desligar um pouco da vida corrida de mãe?!
Minhas aulas de pilates ou uma raríssima ida à praia sozinha.

*O que (em você) te surpreendeu depois que virou mãe?!
Comecei a ter coragem do que tinha medo e comecei a ter medo das coisas que tinha coragem.

* Como mãe, tem algo de São Paulo que você sente falta na criação da sua filha?
Educação (a Bruna estuda em uma boa escola, mas em São Paulo eu teria melhores opções), cultura, sociabilidade e rede médica de qualidade e fácil acesso. Para achar um bom médico, preciso ir a Recife.

* Qual o melhor e o pior de criar um filho longe da família (mesmo morando em um lugar paradisíaco)?
Não vejo lado bom nisso. Família é a base da criação. Sorte que a Bruna tem as duas avós e duas referências por perto. O pior é a falta de referência para a minha filha, as raízes, a tradição das brigas dos almoços de domingo!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Lifestyle

31 dias no Rio: as dicas de beleza ‘de repente 40’ de Leticia Spiller

7 de outubro de 2015

Na semana passada, quando estreei a tag De Repente 40na qual vou mostrar produtos, tratamentos e modas que estou aderindo na minha chega à nova década ano que vem, além de outras belas inspiraçõescitei Leticia Spiller como uma das minhas musas 40+. Por isso, fiquei ultra feliz de conseguir uma entrevista exclusiva com a atriz, que já era musa desde os tempos de escola {sei disso porque estudamos no mesmo Sacré-Coeur de Marie, no Rio, embora ela fosse uns anos na minha frente!} e consegue ficar mais linda a cada semana. Letícia (42) falou sobre seus produtos favoritos, sobre sua relação com cuidados de beleza e sobre a volta do corpo depois da gravidez de Stella, de quatro anos.

Leticia Spiller

* Você mostra ter cuidados com corpo e pele. Isso sempre fez parte da sua rotina ou é algo que veio depois?
Eu tenho cuidados básicos com a pele, principalmente depois de tomar banho. Sempre passo um sérum com filtro solar de dia e à noite também procuro limpar bem a pele, hidratar.

* Cuidados com corpo e pele são prazeres pessoais ou algo que você busca pelos resultados de saúde/estética?
São cuidados mais por obrigação do que por prazer. Porque às vezes você tá super cansada e tem que fazer todo aquele ritual – eu nunca deixo de fazer, mesmo que eu chegue em casa tarde, tanto no corpo quanto no rosto. 

* Aos 42, sua pele é pura inspiração. Quais os produtos/tratamentos que você testou, aprovou e recomendaria para as mulheres na mesma faixa etária?
Eu vario muito. Gosto de um da La Roche, que é sérum com hidrante e água termal. Eu adoro também o protetor solar da Avène, aquele que tem um pouquinho de base. Já hidratante pro corpo, sempre passo o Oléo de Rosa Mosqueta da Weleda. Dizem que óleo de coco é muito bom, que é o melhor hidratante, mas eu nunca usei. 

* Você foi mãe novamente há pouco mais de quatro anos, quando já passava dos 35. A volta do corpo pré-gravidez foi diferente de quando teve o primeiro filho? Genética a parte, qual dica você daria para reconquistar (e manter) a forma pré-gravidez para as mulheres que encaram a maternidade por volta dos 40, algo cada vez mais comum?
Nas duas gravidezes, eu fiz hidroginástica para gestante com um professor maravilhoso aqui do Rio (que não está mais dando aulas) e fiz também um pouco de aeróbico com musculação, mas bem leve, sem exagerar! O que sempre ajuda é boa alimentação e amamentação. Depois que o filho nasce, tem que cuidar do que come porque há alimentos que dão cólica no neném, mas não pode ser radical porque você tem que produzir um leite que tenha sustância. Eu vou te confessar que, da segunda vez, quando meu leite estava secando, eu cheguei a comer até mocotó e rabada pra ter leite!

Leticia Spiller para Boa Forma

imagens: divulgação e revista Boa Forma

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

To Grávida

31 dias no Rio | Mamãe (carioca), conta aí: Nanda Castello

6 de outubro de 2015

A tag ‘Mamãe, conta aí’ desta semana começou com uma foto: a imagem abaixo, linda, da festa de aniversário de três anos da pequena Mariah. O detalhe? O cenário ultra fotogênico foi inteiramente pensado e produzido pela mãe e pela avó da menina, naquele esquema de festinha caseira que, vocês sabem, eu amo. Da foto à autora – da produção e do registro –, cheguei a Nanda Castello, carioca. Sincronicidade total e absoluta com nosso mês especial 31 Dias no Rio, a entrevistada da semana tinha que ser a Nanda.

festinha Nanda Castello

Carioca, mãe, fotógrafa e muito, muito prendada, Nanda é também autora do blog Pra Se Inspirar, no qual compartilha ideias, receitas, inspirações mil e, claro, um pouco de seu trabalho registrando famílias, crianças, bebês e casais. No papo, falamos de maternidade, de festas caseiras, de registros fotográficos perfeitos e, como não poderia deixar de ser, em homenagem ao especial Rio, falamos também de programações para os pequenos na capital carioca. Conta aí, Nanda…

Nanda Castello e Mariah

* O que toda mãe sabe, mas não conta (e a gente só descobre depois de dar à luz)?
Que existe alguém muito, mas muito mais importante que nós mesmas. Que esse tal de amor de mãe é infinitamente maior do imaginamos antes de receber aquele pacotinho nos braços.

* Se você fosse garota-propaganda de um produto baby, qual seria?
Do Mama Tutti, acredito que pouca gente conheça! Tive muito problema durante a amamentação e, com essa sondinha, conseguir prolongar bastante esse processo por meio da relactação!

* O que você faz quando quer se desligar um pouco da vida corrida de mãe?! (um hobby, um lazer, um ritual de relax…)
Passeio com a minha filha mais velha. Ela é peluda e chama Mel {nota do blog: Mel é uma linda Golden Retriever}!

* O que (em você) te surpreendeu depois que virou mãe?!
Duas coisas: a minha força (tirei e tiro diariamente de onde eu nem sabia que tinha) e o sentido da minha vida. A Mariah me trouxe vontade de buscar um trabalho que eu, realmente, amasse e me realizasse. Há três anos sou uma pessoa melhor.

* Recentemente, sua filha completou três anos e você preparou uma festa caseira linda. O que você acha essencial para fazer uma festa fotogênica sem exageros?
Sabe o que é essencial? Que a festa tenha a cara da criança, principalmente! Gosto muito de festas conceituais, com referências lúdicas e delicadas. Acho que combinam com o jeitinho da Mariah. Ah, e coloque amor, muito amor! Nem toda mãe tem jeito e habilidade para fazer uma festinha feita em casa. Nesse caso, acho bacana procurar uma profissional que tenha o mesmo estilo que você, assim a decoração terá o seu jeitinho!

*Como fotógrafa, qual a dica que você dá para fazer e manter bons registros dos filhos?
Primeiro de tudo: não peça pra seu filho fazer poses! Amo fotografar crianças justamente pela espontaneidade delas. Proponha uma brincadeira, uma cosquinha, cante uma música e deixe o pequeno se expressar. Segundo, abaixe e fique na altura da criança para fazer o clique. Vocês vão ver que diferença isso faz!

* Como autêntica mamãe-carioca, quais são os três lugares da cidade onde mais ama levar a Mariah?
Jardim Botânico pra respirar ar puro, ver as tartarugas e macaquinhos pulando pelas árvores – sem falar do parquinho delícia que existe lá dentro! O Parque dos Patins, na Lagoa, já valeria pela vista incrível, mas ainda encontramos uma enorme variedade de brinquedos para as crianças se divertirem, como carrinhos e triciclos pra alugar. Nos fins de semana há também cavaletes com telas para as crianças pintarem vestidas a caráter. Por fim, praia! Não pode faltar né?! Recomendo o Baixo-Bebê, que é lotado de crianças e brinquedinhos!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…