ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Mães & Filhos

Mamãe, conta aí: Miriam Wu

27 de outubro de 2015

Conheci a Miriam numa época em que eu era uma grávida 100% perdida, sem saber o que comprar para o enxoval da minha filha – já contei várias vezes aqui, eu não tinha a menor noção de nada sobre esse universo bebês e crianças. Ela, com sua consultoria Tips For Mommy, me ajudou a montar uma lista pé no chão, sem exageros, mas com todas as funcionalidades atendidas.

A Mi mora em Miami há vários anos com o marido e as duas filhas, Victoria (4) e Sofia (2). É de lá que toca seu concierge de maternidade, acompanhando futuras mamães nas compras e decisões, e que comanda casa, família, crianças e rotina. Nosso papo é sobre maternidade, criar filhos em outro país e dicas de Miami para crianças. Conta aí, Miriam…

Miriam Wu

* O que toda mãe sabe, mas não conta (e a gente só descobre depois de dar à luz)?
Ixi, tantas coisas…! Na realidade, eu até acho que elas tentam nos contar algo, mas nós só conseguimos assimilar a informação quando de fato nos tornamos uma. A maternidade é algo muito particular. É uma relação íntima que envolve somente a mãe e o filho, na qual os dois vão se afinando até o encontro do compasso perfeito de um ideal estabelecido por este relacionamento. Por isso é díficil citar uma ‘verdade única’ que deva ser dito ou avisada a alguém, pois cada maternidade é diferente uma da outra. Mas, para citar uma, eu arriscaria dizer que se existe uma coisa (que eu acredito que deva ser de uma forma GERAL) que talvez uma mãe não diga é que não existirá um só dia que ela não se preocupará com o seu filho. E que esta preocupação irá lhe acompanhar até o fim da sua vida. Sabe aquela tranquilidade de deitar na cama e não pensar em mais nada? Esqueça! Ela simplesmente acaba no dia em que você dá à luz e se torna uma mãe.

* Se você fosse garota-propaganda de um produto baby, qual seria?
Ai…. são tantos produtos que eu gosto muito. Eu sempre tenho os meus favoritos para cada fase da criança – são muitos! Para os récem-nascidos, os cueiros da marca Aden & Anais são excelentes. Outro produto que eu adoro, sou fã e uso muito até hoje com as meninas, são as meias-sapatilhas da marca brasileira Puket. Elas são super lindinhas, muito confortáveis e são ótimas para proteger os pezinhos. A linha atende desde bebês até crianças maiores. Super recomendo até como uma opção de presentinho, não tem quem não goste!

* O que você faz quando quer se desligar um pouco da vida corrida de mãe?!
Amo assistir a filmes. Se não consigo ir ao cinema, faço uma sessão-pipoca em casa e está tudo certo! Já está garantido o meu momento relax.

* O que (em você) te surpreendeu depois que virou mãe?!
Tantas coisas… É impressionante a nossa capacidade de mudar!  Com a chegada da maternidade, percebi que sou mais forte, segura e determinada – muito mais do que um dia eu poderia imaginar na vida que eu fosse ser! Me surpreendo com a maturidade, serenidade que a maternidade trouxe para eu tomar decisões e fazer as escolhas por mim e para a minha família. Também me surpreendi com o aumento do nível de tolerância e paciência. E, muitas vezes, me pego admirada com a minha capacidade de conseguir fazer e administrar tantas coisas diferentes ao mesmo tempo (e, definitivamente, depois desta minha resposta… acabo de constatar que a modéstia também parece ter ido embora depois da maternidade).

* Principalmente agora com o Brasil em crise, muitas pessoas dizem ter o desejo de mudar para os Estados Unidos. Qual é o lado B, que nem todo mundo conhece, de criar os filhos em Miami?
Não encontro muitos pontos negativos em se criar filhos por aqui, mas o que pesa mesmo em você estar longe é o não-convivio diário ou frequente com os seus familiares. É ter que aprender a criar seus filhos, sabendo que eles não poderão desfrutar do colo gostoso dos avós todos os fins de semana, é saber que não poderemos estar sempre juntos daqueles que amamos em todas as datas ou ocasiões especiais… É criar seus filhos ensinando a conviver diariamente com a saudade! 

* Qual a melhor programação para os pequenos em Miami?
Miami é uma cidade super kids-friendly, existe uma variedade imensa de programas para fazer com as crianças, tanto indoor quanto outdoor. Eu sempre opto em fazer programas ar livre com as meninas – Miami é uma cidade linda e não aproveitar a natureza que ela oferece seria até uma ofensa a ela. Seguem algumas dicas:
– Ir a Hammock Park, que fica localizado em Coral Gables: o parque é formado por uma piscina natural com a água do mar, que se renova a cada maré e o pôr do sol é de tirar o fôlego.
– Visitar o Metro Zoo ou o Safari de Palm Beach (que fica um pouco mais longe): as crianças ficam fascinadas com os animais e ainda têm a oportunidade de poder alimentar alguns deles.
– Ir ao parque de South Point, em Miami Beach, e aproveitar para fazer um picnic na grama, jogar bola, ou simplesmente caminhar até a praia e por ali ficar!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Mães & Filhos

Mamãe, conta aí: Dani Barton

20 de outubro de 2015

Era uma vez uma publicitária que vivia a vida louca e acelerada de São Paulo. Foi quando nos conhecemos, trabalhando no Glamurama – empresa da qual ela cuidava do departamento comercial. Até que, numa dessas mudanças radicais que inspiram até os mais conservadores, Dani Barton se mudou, por amor, para Porto de Galinhas, região paradisíaca de Pernambuco.

E é lá que ela hoje vive com o marido e a filha Bruna, de seis anos, com uma qualidade de vida incomparável. Hoje, ela está faz parte da administração e comunicação do projeto Hippocampus, que luta pela conservação dos cavalos-marinhos. Na paralela de seus ideais e de seu endereço paradisíaco, ela é mãe, como as mesmas questões, dúvidas e acertos de todas nós. E foi sobre isso o nosso papo. Conta aí, Dani….

Dani Barton

* O que toda mãe sabe, mas não conta (e a gente só descobre depois de dar à luz)?
Que temos capacidade de passar noites acordadas e que o amor é o melhor remédio. E também que toda mãe, mesmo sendo a pior cozinheira do planeta, faz a comida mais gostosa do mundo para a filha.

* Se você fosse garota-propaganda de um produto baby, qual seria?
Kit-praia!

* O que você faz quando quer se desligar um pouco da vida corrida de mãe?!
Minhas aulas de pilates ou uma raríssima ida à praia sozinha.

*O que (em você) te surpreendeu depois que virou mãe?!
Comecei a ter coragem do que tinha medo e comecei a ter medo das coisas que tinha coragem.

* Como mãe, tem algo de São Paulo que você sente falta na criação da sua filha?
Educação (a Bruna estuda em uma boa escola, mas em São Paulo eu teria melhores opções), cultura, sociabilidade e rede médica de qualidade e fácil acesso. Para achar um bom médico, preciso ir a Recife.

* Qual o melhor e o pior de criar um filho longe da família (mesmo morando em um lugar paradisíaco)?
Não vejo lado bom nisso. Família é a base da criação. Sorte que a Bruna tem as duas avós e duas referências por perto. O pior é a falta de referência para a minha filha, as raízes, a tradição das brigas dos almoços de domingo!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Lifestyle

31 dias no Rio: as dicas de beleza ‘de repente 40’ de Leticia Spiller

7 de outubro de 2015

Na semana passada, quando estreei a tag De Repente 40na qual vou mostrar produtos, tratamentos e modas que estou aderindo na minha chega à nova década ano que vem, além de outras belas inspiraçõescitei Leticia Spiller como uma das minhas musas 40+. Por isso, fiquei ultra feliz de conseguir uma entrevista exclusiva com a atriz, que já era musa desde os tempos de escola {sei disso porque estudamos no mesmo Sacré-Coeur de Marie, no Rio, embora ela fosse uns anos na minha frente!} e consegue ficar mais linda a cada semana. Letícia (42) falou sobre seus produtos favoritos, sobre sua relação com cuidados de beleza e sobre a volta do corpo depois da gravidez de Stella, de quatro anos.

Leticia Spiller

* Você mostra ter cuidados com corpo e pele. Isso sempre fez parte da sua rotina ou é algo que veio depois?
Eu tenho cuidados básicos com a pele, principalmente depois de tomar banho. Sempre passo um sérum com filtro solar de dia e à noite também procuro limpar bem a pele, hidratar.

* Cuidados com corpo e pele são prazeres pessoais ou algo que você busca pelos resultados de saúde/estética?
São cuidados mais por obrigação do que por prazer. Porque às vezes você tá super cansada e tem que fazer todo aquele ritual – eu nunca deixo de fazer, mesmo que eu chegue em casa tarde, tanto no corpo quanto no rosto. 

* Aos 42, sua pele é pura inspiração. Quais os produtos/tratamentos que você testou, aprovou e recomendaria para as mulheres na mesma faixa etária?
Eu vario muito. Gosto de um da La Roche, que é sérum com hidrante e água termal. Eu adoro também o protetor solar da Avène, aquele que tem um pouquinho de base. Já hidratante pro corpo, sempre passo o Oléo de Rosa Mosqueta da Weleda. Dizem que óleo de coco é muito bom, que é o melhor hidratante, mas eu nunca usei. 

* Você foi mãe novamente há pouco mais de quatro anos, quando já passava dos 35. A volta do corpo pré-gravidez foi diferente de quando teve o primeiro filho? Genética a parte, qual dica você daria para reconquistar (e manter) a forma pré-gravidez para as mulheres que encaram a maternidade por volta dos 40, algo cada vez mais comum?
Nas duas gravidezes, eu fiz hidroginástica para gestante com um professor maravilhoso aqui do Rio (que não está mais dando aulas) e fiz também um pouco de aeróbico com musculação, mas bem leve, sem exagerar! O que sempre ajuda é boa alimentação e amamentação. Depois que o filho nasce, tem que cuidar do que come porque há alimentos que dão cólica no neném, mas não pode ser radical porque você tem que produzir um leite que tenha sustância. Eu vou te confessar que, da segunda vez, quando meu leite estava secando, eu cheguei a comer até mocotó e rabada pra ter leite!

Leticia Spiller para Boa Forma

imagens: divulgação e revista Boa Forma

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…