ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Meus Trabalhos

Para blogueiros: como ganhar dinheiro com afiliados

3 de agosto de 2017

Quem acompanha meu trabalho já sabe que, por opção, eu não faço publieditoriais. Em todos estes anos de blog, fiz esse tipo de comercialização exatamente quatro vezes – e em todas elas me senti meio contrariada, incomodada, nada à vontade. Dia desses, quando falava sobre isso em uma reunião de trabalho com alguém do mercado digital, ouvi a melhor definição para esta minha escolha: exótica! Não tem a ver com medo da rejeição dos leitores nem mesmo com incapacidade de lidar com isso sem perder minha credibilidade. Em parte pode, sim, ser efeito das minhas crenças limitantes com dinheiro (essa parte, um defeito!). Mas o ponto crucial mesmo é que quando criei o ItGirls em 2007 meu MAIOR desejo e grande motivação para ter um blog era ter um espaço no qual eu escrevesse apenas do que mais amava, sem amarras comerciais nem briefing de anunciante – sonho esse que se devia ao fato de eu trabalhar como jornalista na época e, em sites e revistas, ter sido muito pautada pelo departamento de publicidade.

Tudo isso serve para explicar por que me apaixonei pelo conceito de marketing de afiliados, que uso timidamente desde 2011 e tema no qual ando me aprofundando mais ultimamente. No Brasil, ainda é sub-utilizado, mas nos Estados Unidos, por exemplo, tem muito produtor de conteúdo ganhando um dinheiro considerável mesmo sem ter milhões de acessos ou seguidores. Essa é, eu diria, minha aposta da vez e eu sou fã número um do conceito.

marketing de afiliados como ganhar dinheiro
imagem Marketing de Afiliados via Shutterstock

PROGRAMAS DE AFILIADOS: COMO ISSO FUNCIONA?
Explicando rapidamente para quem ainda não sabe do que se trata. Um programa de afiliados une e-commerces e produtores de conteúdo. Quando um post indica um produto deste anunciante e um leitor compra o que fora recomendado, o autor do texto (e da dica) ganha uma porcentagem da venda. Note que é um ganha-ganha, bom pra todos os lados – e por isso eu amo, uso e recomendo. O blogueiro não tem nenhuma interferência em seu conteúdo (escreve sobre o que realmente quer), a marca conta com um canal extra de divulgação (e remunera por resultado, sem ter que investir no escuro), o leitor tem acesso a uma dica realmente espontânea. Em resumo, ninguém fica devendo nada para ninguém!

QUERO COMEÇAR: QUAIS MARCAS TÊM AFILIADOS?
O marketing de afiliados tem crescido cada vez mais no Brasil – nos EUA, como disse acima, já é fonte número um de renda de muitos blogueiros há anos. Todos os grandes e-commerces têm um, seja individual ou em programas coletivos. Geralmente, no rodapé do próprio site é possível encontrar informações sobre isso. Vale também ir atrás das marcas que têm sentido em seu nicho de atuação.

QUANDO COMEÇAR: AS REGRAS PARA SE CANDIDATAR
Sempre, sempre digo que se a pessoa quer ganhar muito dinheiro deve procurar outra carreira que não a de blogueiro. Acontece que de uns anos para cá houve esse boom e realmente há quem tenha um faturamento bem significativo, mas é importantíssimo ressaltar que – como em QUALQUER outro mercado – estas são exceções, não a regra. Digo isso porque não basta abrir um blog hoje, escrever meia dúzia de posts amanhã e sair pedindo viagem/maquiagem de graça (por favor, não faça isso, queima nossa classe!) ou esperar que os dólares passem a nascer na sua conta. Não é assim! E com afiliados, por mais ganha-ganha que seja, é a mesma coisa. Para ter resultado, é preciso ter engajamento real. O que se constrói com tempo e trabalho. Dito isso, sim, mesmo sem os tais números estratosféricos é possível ganhar dinheiro com afiliados, melhor forma de trabalho para os microinfluenciadores (bola da vez no mercado, dê um Google e leia sobre o assunto!). Cada programa tem suas regras de aprovação, sendo alguns mais simples de entrar do que outros. Mas, generalizando por cima, as empresas analisarão a qualidade do blog, o tempo/quantidade de posts e a identificação com a proposta.

OS PROGRAMAS QUE USO E RECOMENDO
O ideal – até para questões de organização – é concentrar em menos programas que consigam te oferecer o maior número de marcas interessantes para seu nicho. Em alguns, você está automaticamente apto a ser afiliado de todas as empresas associadas; em outros, é preciso aplicar marca por marca. Eu estou a-pai-xo-na-da pelo rewardStyle, empresa que é referência nos afiliados de moda e beleza no mundo todo e chegou ao Brasil no ano passado. Eu inclusive acabei deixando de lado outros que usava, pois ele é bem completo no geral. Para fazer parte dele, é preciso ser indicado (obrigada, The!) e aprovado, mas não há comparação em termos de ferramentas e tecnologia. De programas diretos, hoje uso apenas os da Amazon, brasileira e americana. Veja abaixo os outros nos quais estou inscrita e quais são as principais marcas de cada um.
rewardStyle: Sephora, Onofre, Amaro, Dafiti, Shop2gether, Schutz, Luiza Barcelos, Nike, Net-a-Porter, Farfetch, Renner.
Lomadee: Saraiva, Fnac, FastShop, Sepha, Sephora, Livraria da Travessa, L’Occitane, RiHappy, Livraria Cultura, PBKids, Monama.
ActionPay: Jogê, C&A, Ateen, Verve, AliExpress.
Zanox: Printi, O Boticário, C&A, Dafiti, Nike, Etna, Shop2gether, Reserva, Tricae, Giuliana Flores, Leiturinha, Caudalie.
Linkshare/Rakuten: Net-a-Porter, Luiza Barcelos, Rayban, Udemy.

PARA PRINCIPIANTES: O CURSO QUE ENSINA TUDO SOBRE O TEMA
Quando estava estudando mais sobre o assunto, li uma matéria no site da Forbes americana sobre a Michelle Gardner, blogueira sobre finanças que tinha ganhos mensais de até seis dígitos de dólares por meio do marketing de afiliados. Me inscrevi em sua newsletter (e-mail marketing bem usado, taí outra de minhas apostas) e acabei comprando seu curso sobre o assunto. Achei super bom, mas acredito que ele seja ainda mais útil para principiantes – como eu já sabia mais sobre o assunto, ele não foi totalmente novo para mim (embora eu tenha conseguido também aprender várias dicas e estratégias ótimas). São seis módulos que cobrem desde o beabá inicial para quem quer ganhar dinheiro com afiliados até as estratégias para melhorar sua conversão (percentual de vendas fechadas), passando pelas dicas para ser aprovado nos programas. O conteúdo é todo em lições escritas e traz algumas tabelas para por em prática as lições – como não curto tanto assistir a vídeos, não senti falta deste formato no curso, prefiro mesmo por escrito. Para quem não sabe bem por onde começar, recomendo 100% o Making Sense of Affiliate Marketing (disponível apenas em inglês)! Ao fim do curso, você pode inclusive aplicar para ser afiliado do próprio curso – eu sou e esse é um link taggeado, mas depois de todo esse texto nem preciso reforçar que toda e qualquer recomendação no blog é 100% espontânea!

Ganhar dinheiro com blog mantendo a seriedade e a credibilidade é super possível e eu seguirei sempre defendendo que os blogs são um poderoso meio de indicações e recomendações.

Se você é uma marca: meses atrás, falei sobre Programas de Afiliados sob a ótica do anunciante neste post do Amo Branding!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Amo Branding

Sim, ainda vale muito a pena ter um blog! + informações do workshop AG Branding para Blogueiros no Rio

26 de outubro de 2016

Antigamente, você virava influenciador por acidente, hoje não dá. A cada ano, a produção de conteúdo na internet vai se tornar mais competitiva, porque existe mais pluralidade. (…) Nesse cenário, vão surgir um monte de microinfluenciadores, mas pouquíssimos vão gerar receita direta de publicidade, enquanto outros vão remunerar a sua reputação de outras maneiras.
Edney Souza, o InterNey, em matéria do Draft 

Postei ontem no meu Facebook essa ótima frase do Edney, um dos grandes pioneiros no universo de blogs e hoje especialista em conteúdo digital. Ela endossa o que sempre tento passar nos meus textos e palestras sobre este universo: sim, hoje é muito difícil se tornar um influenciador de massa, desses que alcançam MILHÕES de pessoas pelo mundo, mas abriu-se, então, um novo caminho para quem produz um bom trabalho de nicho – com ótimas chances de ganhos financeiros, inclusive! E já há um monte de gente provando essa teoria por aí…

MAIS: O Que É – e Por Que – Ter Um Blog em 2016

Ao mesmo tempo em que é mais difícil se destacar (a quantidade de opções disponíveis e a concorrência nunca foram tão grandes), pode ser bem fácil aparecer no universo digital: não há mais tanto espaço para fazer as coisas sem planejamento e sem estratégia, mas algumas ações simples – ainda ignoradas por muitos – trazem bons resultados. Porque de nada adianta investir em um layout lindo se você tem um blog lento para carregar, por exemplo. Isso sem contar com o… branding: num mar de urls, ter foco e trabalhar um nicho que te represente é fundamental.

Mais: Para Quem É o Workshop AG Branding para Blogueiros?

AG Branding para Blogueiros RIO

Isso, vale dizer, serve para quem quer ter um blog profissionalmente e também para quem apenas deseja usar essa plataforma como ferramenta de branding pessoal e/ou divulgação – um site de empresa ou profissional liberal que tem um blog dentro tende a conseguir se posicionar bem melhor no Google, além, é claro, de conseguir atrair muito mais possíveis clientes. E é para essas pessoas e com esse objetivo que preparei o conteúdo do workshop Branding para Blogueiros, que se divide em duas etapas: uma com dicas para posicionamento de imagem de marca e outra só com nerdices, como plugins, dicas de layout e tudo mais que aprendi blogando por mais de dez anos!

Depois de quatro turmas entre abril e junho, o módulo Branding para Blogueiros encerra esse ano da AG Branding – em 2017, já adianto, novos módulos, novo formato e uma nova programação estão por vir. Nesta quinta-feira (27.10) acontecem duas turmas em São Paulo, no formato de até 12 pessoas cada {resta uma vaga extra para cada turma, ainda dá tempo, hein!}. Já em novembro, será a vez da primeira edição carioca, com formato levemente adaptado.

Mais: O Workshop AG Branding para Blogueiros É Para Mim?

Então, atenção, Rio: blogueiros que desejam criar ou aumentar a audiência de seus blogs, pessoas que desejam começar um blog e buscam um posicionamento inicial, responsáveis por blogs de marcas/empresas e profissionais & empreendedores que querem usar a ferramenta blog a favor de seus negócios, nos vemos no dia 17.11.16, das 17h30 às 20h30, no Leblon.

Programação, todos os detalhes (local, preço etc) e inscrições já estão disponíveis aqui no site da AG Branding na Sympla. Te espero lá!

branding para blogueiros

imagem praia via Shutterstock

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Amo Branding

Como – e por que – definir nicho para blog: três perguntas-chave!

25 de julho de 2016

Nicho: a maior dificuldade do branding é também o primeiro passo para um posicionamento bem-sucedido de marca – e isso vale para negócios, pessoas físicas e blogs. Nas turmas dos workshops AG Branding, sempre percebo que um problema comum é encontrar o foco exato que vai definir toda a estratégia de imagem e comunicação. Foi assim, depois da primeira edição da turma para blogueiros, que surgiu a ideia de uma mini-fórmula, que une teorias de coaching a práticas de posicionamento de marca. Não se trata de uma receita mágica nem da descoberta da pólvora, mas é um passo inicial para o autoconhecimento que nos leva a descobrir nosso melhor eu, nosso diferencial, nosso ponto forte com capacidade para virar… marca-registrada!

Mais: Faça Aquilo que Você Sabe Fazer Melhor

nicho para blog

QUAL O MEU NICHO?!
Para chegar ao foco ideal, é importante conciliar o seu talento, a sua paixão e a maneira como você é lido pelos outros. Muitas, muitas vezes vem de um terceiro a resposta que nos faz perceber nosso grande dom. É esse clique que nos ajuda a fazer aquilo que fazemos melhor. E se escrever sobre sua especialidade já aumenta as chances de destaque, ter um foco específico de posicionamento (passo número um do branding) ajuda seu blog a ser referência de um nicho.

PERGUNTA #1: RUMO A SUA PAIXÃO
O que faz nas suas horas de lazer? Quais atividades alimentam sua alma, seu prazer? Sobre o que você lê por interesse pessoal? Seja específico. Não responda apenas “culinária”, por exemplo, vá mais a fundo e identifique que gosta de “pratos caseiros com ingredientes orgânicos”! Quanto mais profundo for o foco, melhor!

PERGUNTA #2: RUMO A SEU TALENTO
O que te pedem ajuda para fazer? Comece a prestar atenção no que faz os seus amigos te consultarem. Usando o mesmo exemplo acima, digamos que você é acessado quando alguém está em busca de lugares bons para comprar orgânicos e/ou de ideias para o cardápio do dia a dia das crianças. Muitas vezes nossos talentos são (para nós mesmos) tão óbvios que nem os enxergamos como algo útil e interessante para se compartilhar. Mas lembre-se que NADA é óbvio! O fácil de um é o desafio do outro – e vice-versa.

PERGUNTA #3: RUMO A SUA IMAGEM
Pergunte a amigos o que te representa. Faça pequenas enquetes com pessoas com quem convive e que te conhecem, pessoal ou profissionalmente. Busque saber o que em você é percebido como um talento, um rótulo, uma característica. Saber a imagem que já comunicamos nos ajuda no posicionamento da imagem que iremos comunicar.

PAIXÃO + TALENTO + IMAGEM: DESTAQUE NO NICHO!

Em tempo: nicho é um dos tópicos da terceira edição do workshop AG Branding para Blogs, que acontece nesta quinta-feira (28.07), em São Paulo. A turma da tarde está com vagas esgotadas, mas ainda dá pra fazer sua inscrição na turma da manhã (9h às 12h30)! Veja mais detalhes sobre a programação neste post.

imagem culinária via Shutterstock

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…