ALE GARATTONI

Mãe da Maria Helena, profissional de branding e apaixonada por moda e beleza! Meu blog é o espaço "hora do recreio" no qual divido dicas, inspirações, apostas no universo das it girls e minha vida primeira pessoa na maternidade.

Lifestyle

Paula Narvaez: como a disciplina dos esportes ajuda nos negócios

27 de novembro de 2015

Vira e mexe falo por aqui e/ou nos workshops como ler sobre esportistas pode ajudar a trazer inspiração de disciplina extra para a carreira e para os negócios. O papo de hoje é sob medida para isso: Paula Narvaez é produtora de Marketing Digital do grupo Iguatemi e, simultaneamente, maratonista – isso sem contar com a tarefa de mãe da pequena Malu, com o posto de Digital Influencers da Nike e com o ótimo blog Corre Paula. Como dar conta de tudo isso? Com a disciplina que só os esportes trazem, oras!

Paula Narvaez

* A corrida é um dos esportes que mais exigem determinação e dedicação – afinal, há planilhas e metas a serem cumpridas, faça chuva ou faça sol. Você sempre foi uma pessoa determinada e com foco ou começar a correr te trouxe (ou fortaleceu) isso?
A corrida me ensinou não só a ver o mundo de outra maneira, mas principalmente que na vida temos que fazer escolhas. Comecei a correr com 24 anos, adorava sair à noite, beber uns drinks, fumar, então uns dois anos depois cheguei no limite dessa vida dupla e percebi que teria que fazer uma escolha. Virei a chata da balada e até perdi algumas amigas, mas minha escolha estava feita. A partir deste momento, a chave virou e comecei a levar os treinos realmente a sério. Disciplina e determinação passaram a fazer parte de mim e a corrida finalmente começou a refletir em outros campos da minha vida.

* Ano passado, você foi escolhida para o posto de Digital Influencer da Nike. Qual a melhor parte de produzir conteúdo para uma marca esportiva tão significativa no mundo todo e de que maneira você busca trazer esse incentivo a outras pessoas?
Não posso negar que viajar, ter acesso exclusivo aos lançamentos e acontecimentos da marca é uma parte muito boa, mas o melhor disso tudo é ter a confiança, o respeito e o retorno da minha leitora. O Corre Paula foi o primeiro blog de corrida para mulheres do Brasil e na época em que comecei ninguém falava sobre o assunto. Hoje vejo muitas meninas criando blogs para ganhar roupas, tênis etc, até respeito, pois acho que todo mundo tem o direito de ir atrás dos seus objetivos. Mas, olhando minha trajetória, vejo que os anos se passaram e minha missão nunca mudou. Os dois grandes objetivos do blog são compartilhar informação sobre corrida e mostrar como o esporte faz bem para a autoestima e nos torna mulheres muito mais fortes, felizes e seguras de nós mesmas. Sempre que posto uma foto gosto de ter uma história para contar, algo a acrescentar na vida e nos treinos das pessoas. Não quero apenas despertar desejo de estar ali ou de possuir algo. Quero despertar a vontade da minha leitora de sair correndo linda pro treino, de se apaixonar pelas etapas, apaixonar-se pelo próprio corpo e ser dona da própria rotina. Com ou sem equipamentos da moda é possível se sentir bonita, confortável e confiante. Além disso tudo, ser respeitada pela maior marca esportiva do mundo também é algo excepcionalmente bom!

* Você acumula também a função de produtora de Marketing Digital do grupo Iguatemi. Como é conciliar a vida profissional com a regularidade que o esporte exige e com o seu lado mãe?
Tenho muita sorte de ter minha mãe ao lado dando todo o respaldo que preciso para criar minha filha. Meus pais são super casados e apaixonados, mas hoje meu pai vive no Rio e minha mãe abriu mão de estar com ele para me ajudar a cuidar da Malu. No trabalho, procuro não ultrapassar as dez horas diárias – entro às 8h e saio às 18h, exceto quando tem alguma demanda especial. Vejo muita gente se matando de trabalhar, perdendo a vida, ganhando peso, cabelos brancos e tenho certeza absoluta que não quero isso pra mim. Se faço render cada uma das dez horas que trabalho por dia, não acho que exista necessidade de abrir mão de coisas que são importantes para minha saúde física e mental, como os treinos. E se algum imprevisto acontece me viro nos horários alternativos, se precisar treino na hora do almoço, à noite…dou um jeito.

Paula Narvaez

* Ter diversos papéis exige abrir mão de certas coisas em prol de outras mais importantes. Como você enxerga essa necessidade de fazer escolhas em uma época que exige estarmos sempre presentes em tudo? Qual seu critério para definir prioridades?
Não dá pra querer abraçar o mundo, minha prioridade hoje é dar uma vida legal para minha filha e ser uma pessoa feliz. A corrida me ensinou muito sobre como a felicidade pode estar nos movimentos simples da vida, esse é o clichê mais verdadeiro que existe. O problema é o tamanho das expectativas que criamos e na quantidade de coisas desnecessárias com as quais nos comprometemos. Não somos obrigadas a desenvolver papel de mulher maravilha todo dia – se não der, não deu.

* Por fim, o mais importante: o que da disciplina do esporte pode ser aplicado na vida profissional – seja corporativa ou empreendedora? Você sente que suas características estimuladas pelos treinos te ajudam também em sua carreira? E qual a dica de determinação esportiva você compartilharia com todos que querem ter mais foco e disciplina nas metas profissionais?
Uma coisa do esporte que pode ser aplicada à vida profissional é o comprometimento. Não existe disciplina sem comprometimento e vice-versa. Ir adiante mesmo nos dias difíceis, fazer algumas coisas (ALGUMAS!) mesmo sem estar com vontade e tocar o barco sem desespero acreditando que lá na frente vai dar tudo certo. Assim funciona a planilha para uma maratona. Durante as 16 semanas de treino, você acorda muitas vezes sem estar a fim, com frio, com chuva, com dor e precisa de comprometimento e disciplina para ir mesmo assim. Mesma coisa durante a prova: muita coisa acontece no nosso corpo e na nossa mente enquanto corremos aqueles longos 42km, mas temos que ir colocando tijolinho por tijolinho, matando quilômetro por quilômetro sem pensar se ainda faltam 30 ou 3km para acabar. Se você pensar no final e se desesperar para tentar chegar logo, com certeza vai quebrar e corre o risco de não conseguir completar a prova. Assim é na vida, vencer uma batalha por dia sem olhar pra guerra toda. Minha dica para quem quer ter mais foco é não olhar para o lado e não se desesperar quando os planos não saírem como deveriam, tudo sempre dá certo e de quebra no meio do caminho aprendemos uma porção de coisa.

Mais sobre a Paula em seu blog Corre Paula, no novíssimo My Sneaker House (exclusivamente com dicas de tênis) e em seu instagram.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

  1. Julia Em 27/11/2015

    Excelente entrevista!




  2. Karina morillo Em 27/11/2015

    Muito bom Alê! ótima entrevista, parabéns! Grande incentivadora…




  3. Manu Em 28/11/2015

    Que orgulho de ver a Paula por aqui!!! ❤
    Exemplo incrível de como o esporte muda vidas, além de ser uma influencer de verdade: peguei gosto pela corrida graças a ela!
    Adorei, Ale.




  4. Fê Gonçalves Em 30/11/2015

    Aquele incentivo que eu precisa para começar a semana, adorei o post, Ale!!! Um beijooo




  5. Giovanna Em 30/11/2015

    Sério, muito legal ver a Paula aqui. O seu blog, Ale, é um dos poucos que ainda leio com atenção (e até meu marido dá uma olhadela, tamanha que é a qualidade do conteúdo). E a Paula é a minha musa da corrida. Fiquei bem feliz 😉




  6. Rosa Rocha Em 01/12/2015

    Muita boa a entrevista.

    Recentemente, resolvi ir a pé do Pacaembu até a Berrini e voltar para O Pacaembu, foram mais ou menos 20k. Pensei inúmeras vezes em desistir, cheguei morta, mas cheguei. Esta caminhada me deu uma confiança tão grande, que perdurou por vários dias e ecoou em todas as áreas da minha vida. O exercício físico não é só físico-é acima de tudo- mental.

    Ano que vem, pretendo realizar uma mini maratona.

    Bj




  7. Rosa Rocha Em 01/12/2015

    Aproveitando, sobre o assunto corrida, indico para os leigos e iniciantes o livro do Dr. Drauzio Varela. Não é um livro sobre técnicas de corrida e sim um livro sobre a experiência pessoal dele nas corridas diárias e maratonas.
    Bjs,




  8. Adelaide Em 04/12/2015

    Na vida temos que fazer escolhas. Simples assim.
    E não escolher já é uma escolha que também traz consequências.

    Abraços Alê.




  9. Fabine Fernandes Em 08/01/2016

    Tenho que admitir que o meu ponto fraco é a disciplina. Eu me entrego muito no início dos meus projetos e acabo desacelerando quando tenho que cuidar de todos ao mesmo tempo. E a vida é assim, não? Temos que conciliar um milhão de projetos igualmente importantes porque não, a vida não é pessoal x profissional. Tem família, studos, hobbies, casa, saúde, espiritualidade – tem gente que tem filhos ainda; como vocês conseguem???hahaha) e tudo isso é importante DEMAAAIS gente. Acho que aqui entra a questão da disciplina. É preciso fazer avanços em todas essas áreas ao mesmo tempo, mesmo significando que nós não seremos os melhores (pelo menos o início) e o esforço por si só não leva a nada. Acho que a disciplina serve mesmo pra balancear tudo e acredito que é por isso que nem todos que são “esforçados” conseguem algo. A disciplina é um esforço mais direcionado, mais coerente.
    Estou trabalhando nela no momento (depois de perder a saúde e – imagine só- acabei de fazer 21!!!) e… minha nossa, como é difícil hahaha. Aguardando o fim dos 66 dias, pois dizem que vira hábito (e assim espero).
    Beijão, Ale!




Deixe seu Comentário