ALE GARATTONI

Mãe da Maria Helena, profissional de branding e apaixonada por moda e beleza! Meu blog é o espaço "hora do recreio" no qual divido dicas, inspirações, apostas no universo das it girls e minha vida primeira pessoa na maternidade.

Lifestyle

Minhas dez musas de street style – parte 1

30 de outubro de 2014

Referência de estilo é uma coisa muito, muito particular. E quase impossível de resumir em palavras, eu diria. Afinal, a questão estética parte, antes de qualquer coisa, de um gosto pessoal, de uma preferência visual, de valores muito próprios. Mas a grande verdade é que certas mulheres conseguem o impossível e agradam, ao mesmo tempo, a clássicas e moderninhas, a femininas e básicas, a atemporais e viciadas em tendências. E, não por acaso, se tornam, então, musas de street style, de álbuns de Pinterest, de colagens – reais ou virtuais – de inspiração. Eu tenho o meu atual top 10 nessa categoria {a segunda parte entra na semana que vem!}…

ANINE BING
Quem é: dinamarquesa (com uma avó brasileira!) que passou a maior parte da vida na Suécia, ex-modelo, mãe e dona de uma marca de moda super cool em Los Angeles, onde mora hoje com a família
Por que me inspira: em sua marca e em seu estilo pessoal, ela mistura o básico cheio de graça da moda escandiva com o alto-grau de desejo comercial americano.
Marca-registrada: jeans e camiseta. Mas com aquele algo-mais que a gente nem consegue explicar. Como não amar?!
Onde acompanhar: no blog Anine’s World (não deixe de ver o mini-vídeo de apresentação, mega fofo! #QueroCopiar)

Anine Bing

EMILY WEISS
Quem é: americana, ex-super-intern da Teen Vogue (quem assistia The Hills?!), ex-stylist e criadora do IntoTheGloss, portal de beleza que já é referência mundial na sua área e maior influenciador de compras do mundo dos blogs, segundo o ranking Signature9. No mês passado, lançou também a Glossier, sua própria marca de beauté – o teaser você viu aqui!
Por que me inspira: mesmo usando {quase!} somente peças muito básicas – jeans skinny, scarpins clássicos e malhas retas principalmente –, Emily consegue fugir do óbvio e de qualquer ar enfadonho nos looks.
Marca-registrada: um quê meio masculino que ela consegue usar sem perder a feminilidade.
Onde acompanhar: no instagram @emilywweiss

Emily Weiss

KATE DAVIDSON HUDSON
Quem é: americana, dirigiu o departamento de acessórios da Elle por anos e, desde 2013, é o nome por trás do e-commerce Editorialist – que há pouco ganhou também sua própria revista.
Por que me inspira: é a elegância em pessoa! Sabe aquelas mulheres que estão sempre impecáveis e que fazem parecer que o combo look-inspirador-cabelo-lindo-make-na-medida já vem de fábrica? É por aí…!
Marca-registrada: calças flare e muito preto-e-branco – além de um cabelo de Barbie e os acessórios mais perfeitos!
Onde acompanhar: nos painéis de Pinterest dedicados a ela

Kate Davidson Hudson

HEDVIG OPSHAUG
Quem é: norueguesa morando em Londres, ela já trabalhou como modelo e no mercado financeiro antes de se tornar blogueira e, mais recentemente, mãe de uma menina muito fofa!
Por que me inspira: porque eu descobri sua página um pouco antes de nós duas engravidarmos quase simultaneamente (sua bebê nasceu uns dois meses antes da minha), então a tenho como uma referência de mamãe cool!
Marca-registrada: ela tem “A” coleção de bolsas! E também as peças sempre com cortes e modelagens impecáveis.
Onde acompanhar: no seu blog The Northern Light

Hedvig

BARBARA MARTELO
Quem é: faz pouquíssimo tempo que coloquei uma foto dela na minha página do Facebook e descobri que ela já era queridinha dos fotógrafos de street style. Stylist e voguette na Espanha, há algumas páginas – incluindo o blog da Garance Doré – afirmando que ela é brasileira, confere?!
Por que me inspira: ela segue aquele estilo das francesas que todas amamos, mas consegue dar uma bossa extra com um quê de ousadia aqui e outro tom de tendência acolá – sem nunca se parecer com uma vítima da moda fantasiada!
Marca-registrada: jaquetas estruturadas estilo Balmain, calças de cintura alta e o cabelo que está quase me levando pro encontro com o tonalizante amanhã!
Onde acompanhar: no instagram @barbaramartelo

Barbara Martelo

Não por acaso, todas elas estão sempre no meu painel de referências de estilo no Pinterest {já me segue por lá?!}…

imagens: instagram @aninebing (Anine),Harper’sBazaar (Emily), Pinterest sem fonte (Kate), The Nortthern Light (Hedvig) e Stockholm Streetstyle (Barbara)

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Primeira Pessoa

Sobre respeito, sobre simplicidade, sobre beleza limpa, sobre liberdade autêntica…

8 de outubro de 2014

IMG_1790.PNG

Há exatamente um ano, em outubro de 2013 portanto (!!!), escrevi no meu Facebook este texto do print acima. E, devo dizer, ele passou a fazer parte de uma leva de materiais que gosto muito de ter produzido. Em parte porque resume o que eu penso, em parte porque é um exercício diário que EU também preciso fazer, no todo porque eu acredito que essa capacidade de aceitação geral pode deixar o mundo mais agradável.

Ontem me lembrei dele enquanto lia o post que Emily Weiss, uma das minhas top musas da internet, publicou em seu IntoTheGloss sobre o lançamento de sua linha de beleza Glossier. Nem sei direito por que liguei uma coisa à outra, já que, à primeira vista, estamos falando de coisas muito diferentes. Mas quando fui lendo seu texto delicioso, fui me identificando com a ideia dela sobre liberdade. Sobre se divertir, sobre ter prazer, sobre não querer pra si outra garantia que não a absoluta autenticidade. A tal linha Glossier, pelo que entendo, segue bem os preceitos de que uma pele bem tratada precisa de menos maquiagem (skin first, makeup second, diz o slogan). E, em um ápice de inconsciente coletivo – normcore na beauté?! –, esse tem sido cada vez mais meu pensamento. Melhor investir dinheiro no que trata do que no que disfarça; dá pra gastar menos tempo com correção se gastar antes com prevenção. Serve pra tudo essa linha de raciocínio, mas eu, carioca que nunca se acostumou com o hábito paulistano de passar base e pó como parte de uma rotina diária (generalizando, ok?!), encontrei aí um aval pra viver em paz com meu “menos é mais”.

Saindo do ramo da maquiagem e voltando ao ponto que conecta todos os parágrafos deste post, Emily foi fundo quando disse que “o que não é legal é ‘se editar’, é desejar chegar a um glamour intocável ou quebrar a cabeça tentando decidir o momento certo para fazer uma coisa“. Algo como pense menos e viva mais? Em outras palavras, vale tudo desde que haja autenticidade, desde que seja genuíno, desde que seja real. E é exatamente isso que defendi no texto de um ano atrás. Seja chatinha, seja reclamona, seja desligada, seja obcecada, seja fútil, mas seja aquilo que te traz paz, liberdade e conforto. Sem a preocupação de seguir os moldes de fulano, o ideal de ciclano ou o padrão de vários beltranos. Apenas com coerência aos seus próprios valores e crenças. Apenas estando ok com você mesmo. Ou, como Emily tão bem arremata, “é sobre ser legal com as pessoas e saber que um sorriso gera um sorriso. Esnobe não é legal, feliz é legal“.

Porque no fim usar menos máscaras (de fantasias!) e usar menos maquiagem podem ser conceitos que se parecem entre si. E ambos são absolutamente libertadores!

IMG_1789.JPG

imagem: Emily Weiss personificando a ideia de que o simples é sempre muito legal!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Lifestyle

Quando um blog de beleza vira um negócio além do blog

29 de setembro de 2014

A trajetória de Emily Weiss na internet é muito inspiradora: ela lançou seu IntoTheGloss.com em setembro de 2010, quando o mercado já apresentava certa saturação, e ainda assim transformou-o no mais influente blog de beleza da rede – literalmente, pois, no começo deste mês, o prestigiado ranking Signature9 apontou o ITG como o site com maior poder de influenciar compras, que tal?! Pois o que começou como um blog em primeira pessoa se transformou em um portal com vários editores e se prepara, agora, para dar origem a um… e-commerce? Marca própria de beleza? Assinatura de produtos de beauté?

Ainda é difícil saber exatamente qual o foco do Glossier,  mais nova empreitada de Emily. A moça parece ter decidido aproveitar seu poder de fazer com que outras moças comprem infinitos blushes e esfoliantes (palavra de uma dessas outras moças, Emily torna minhas viagens bem mais onero$as!) para ganhar diretamente com isso. Entre postagens e mais postagens no instagram @glossier, dá pra saber que o novo business já tem uma equipe de 15 pessoas, um frasco de produto e uma identidade visual bastante forte. Em meio a muitos novos teasers, foi postada uma provável embalagem oficial. Devo dizer, Emily Weiss tá pensando direitinho em branding!

Glossier

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…