ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Lifestyle

10% Mais Feliz: um livro de meditação para céticos

5 de setembro de 2017

É inegável que cada vez mais pessoas têm falado, experimentado, praticado meditação. E mesmo entre aqueles que por enquanto estão distantes deste hábito o ceticismo está mais distante de ser uma questão impeditiva – é mais comum a distância por conta da (falsa) impressão de que a prática é difícil ou inapropriada para suas personalidades. O cenário é facilmente compreensível: mesmo as principais universidades do mundo já apontam os benefícios e comprovam com estudos as vantagens de meditar. Isso sem contar com os adeptos, que hoje incluem empresários poderosos, atletas premiados e… jornalistas de destaque. Como Dan Harris, há anos âncora de programas da TV americana.

10 Mais Feliz
imagem meditação via Shutterstock

Leva a assinatura de Harris o best-seller da vez sobre o tema. 10% Mais Feliz narra sua própria experiência, que saiu de um ataque de pânico ao vivo durante a leitura das notícias do dia até uma busca curativa de expansão de consciência. O livro é provavelmente o mais democrático nesta categoria e atenderá a curiosidade mesmo dos mais céticos. O motivo? O autor é um típico (ótimo) jornalista, com a curiosidade e a postura questionadora sempre a postos. Mesmo quando se identifica com um guru e/ou com uma teoria, ele parece duvidar e cavar ainda mais a fundo. O resultado é espetacular.

Dan é o retrato vivo de uma geração ansiosa, acelerada e super-conectada. “Quando você se afasta de suas emoções, elas se manifestam em seu corpo”, ele explica sobre as neuroses e medos que o perturbam por pura influência de seu ego – aliás vem do jornalista a melhor e mais simples definição do ego, tema que tem sido foco dos meus estudos pessoais no momento, “um narrador interno, insatisfeito, comparativo, dramático” (que não nos dá muita paz!).

Além de todo o conteúdo com causa (razão para) e consequência da meditação, repleto de experiências em primeira pessoa e ótimas fontes de referência, Dan oferece um guia de perguntas e respostas muito úteis e didáticas, na medida para iniciantes. De todas as recomendações, atenção a esta: “para meditar, a regularidade é mais importante do que a duração”. Apenas comece!

Em tempo: se você já medita, se está ainda começando, se pretende experimentar, se anda recolhendo teoria e até mesmo se ainda guarda dúvidas sobre os tão propagados benefícios, este livro vai ser útil, coloque-o já na sua fila de leitura. Segundo o autor, a prática vai deixá-lo (no mínimo) 10% mais feliz. Para comprar o seu, este é o link.

livro 10 mais feliz

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Lifestyle

Beauté em SP: tudo sobre o novo salão Dry Club

4 de setembro de 2017

Você já imaginou um salão de beleza sem manicures, sem sala de depilação e sem tesouras ou produtos químicos? Pois esse formato de espaço exclusivo para escovas, que já é tendência absoluta há tempos em Nova York, finalmente aterrissou em São Paulo! Em uma portinha charmosa numa rua tranquila do Itaim, acaba de ser inaugurado o DryClub. Quando você cruza a entrada, vai se sentir num paraíso (de beleza e de branding!), pode apostar: tudo, absolutamente tudo é pensado, em uma estética padronizada e caprichadíssima. O tom de rosa que é parte da identidade visual está nas paredes, nos detalhes e até nos secadores usados.

Dry Club SP

Quem me segue no instagram (@alegarattoni, tenho estado mais ativa por lá também!) viu em tempo real meu encantamento. Nunca entendi por que a gente não tinha por aqui esse modelo de serviço, que é focado, rápido e sob medida para quem não tem muita paciência para o programa “passar o dia no salão”. Daí que quando ele finalmente chegou ao Brasil, ainda era lindo e pertinho de casa, nem sei como traduzir minha alegria – alegria de cliente mesmo, nenhum envolvimento comercial (sempre bom lembrar nos posts em que elogio algo muito efusivamente, né?!).

entrada Dry Club SP

O processo é todo bem millenial, do início ao fim: nada de telefonar para marcar horário (obrigada, meu Deus!), você agenda tudo pelo aplicativo, incluindo que tipo de finalização vai querer. Sim, o cardápio traz um único serviço, mas em cinco opções distintas, do mais liso ao mais modelado. Entre lavagem, secagem e finalização, o atendimento dura 45 minutos e tem um preço também fixo (R$ 75) para todos os comprimentos e tipos de escova: a co-fundadora, Renata Merquior, me contou que isso é para acabar com aquela dúvida que – na subjetividade do longo x médio x extra-longo – a gente nunca sabe quanto vai pagar até chegar ao caixa de um salão. No site oficial, dá pra ver o menu e também os pacotes para quem já quer comprar várias sessões com desconto.

Dry Club SP

Dry Club SP

Testei e mais do que aprovei a finalização Uber Gisele, com cachos largos modelados na própria escova. Como brinquei lá no meu instagram, mesmo que eu saísse descabelada eu provavelmente ainda iria amar o conjunto da obra, porque cada detalhe encanta. Renata e sua sócia Bianca Latgé definitivamente pensaram em tudo, do ambiente gostoso aos iPads abastecidos com as principais revistas, dos ganchinhos para prender bolsas embaixo do balcão ao cheirinho delicioso dos produtos usados – todos com a marca própria do salão, sendo que shampoo e condicionador à base de óleo de coco já são vendidos também para usar em casa (ganhei essa dupla de presente e vou testar já, já!). Marca com tendência millenial que é, o Dry Club está também no instagram, onde compartilha inspirações e cliques de cabelos feitos no local. Difícil eleger o ponto mais forte!

Dry Club SP Cabelo Ale Garattoni

Dry Club SP

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Lifestyle

A quantas anda sua inteligência espiritual?

31 de agosto de 2017

Eu estava na faculdade, nos anos 90, quando houve aquele boom a respeito da inteligência emocional – a maneira como você lidava com suas emoções se mostrava tão ou mais importante do que seu intelecto para as relações pessoais e profissionais. Mais de vinte anos depois, os holofotes miram em outra direção: é a hora de prestar atenção ao seu quociente espiritual. Trata-se de deixar um pouco de lado o duelo mente X emoções para prestar atenção na sua alma, na sua essência, ou, como diz a palavra da moda, no seu real propósito!

vida leve inteligência espiritual
imagem Meditação via Shutterstock

O desenvolvimento da inteligência espiritual foi o tema de um ótimo workshop do qual participei no último fim de semana no Espaço Natividade. A apresentação foi conduzida por Antonio Droghetti, empresário que há mais de 30 anos busca ferramentas que levam a esta expansão de consciência, a essa conexão com a sua verdade. Que, sim, tem uma forte base na meditação.

inteligência espiritual

Fiquei especialmente impressionada com os dados mostrados logo no início da manhã: segundo a OMS, o número de casos de depressão aumentou quase 20% nos últimos dez anos; 5.8% dos brasileiros se enquadram nesta estatística, maior incidência da América Latina e segunda maior das Américas, 0.1% atrás dos EUA; em São Paulo (dado mais chocante), 29.6% sofrem de alguma perturbação mental, configurando o maior percentual do mundo. Passou da hora de falarmos mais sobre os efeitos desta vida acelerada que vem dilacerando mentes em diferentes proporções, né?

Em linhas gerais e de forma bem resumida, a inteligência espiritual permite que a pessoa se escute, entenda o que move sua alma e perceba qual o seu dom – o que, então, a aproxima de seu real propósito. Buscar o autoconhecimento e silenciar o ego são pontos de partida. E, não, não se trata de nada religioso ou místico, já que hoje a própria ciência reconhece a importância desta mudança de hábitos e padrões (nota-bônus: entre os participantes, uma pessoa compartilhou que teve a meditação como parte da prescrição de um neurologista conceituado).

espaço Natividade

Comprovadamente, as pessoas alinhadas com suas almas têm mais equilíbrio, mais preenchimento, mais plenitude. Tomam melhores decisões, têm reações mais controladas e vivem com mais abundância – especialmente porque entende-se que cada um é único e tem um propósito e um papel distintos; não há competição, apenas compartilhamento e colaboração. Silenciar a mente, por meio sobretudo da meditação, é o caminho para acessar esta inteligência mais profunda.

Me interessei pelo workshop a princípio pelas “aulas de meditação” da programação, mas ganhei muito mais ao longo deste dia. Para pessoas mais práticas e com o raciocínio lógico muito atiçado, é sempre recompensador ouvir dados científicos e comprovações teóricas de causa e efeito, afinal. Destaque todo especial para o trabalho de Droghetti – é verdade que todos estes temas, meditação principalmente, estão super em alta e tendem a atrair muito público e muitos candidatos a professor, então ter no comando alguém com mais de três décadas de experiência dá muita credibilidade e confiança ao todo.

espaço Natividade

Se você também está neste processo rumo a uma vida mais leve, recomendo muito que invista no combo teoria (estudos) e prática simultaneamente. Mas se permita também participar de encontros como este: estar no meio da energia de várias pessoas com a mesma vibração potencializa resultados!

p.s. o Espaço Natividade, onde aconteceu o evento e de onde vêm as fotos que ilustram este post, também merece muito a visita! Além de workshops como estes e das aulas de Yoga da grade fixa de programação, foi inaugurado um restaurante natural e uma feirinha orgânica aos fins de semana.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…