ALE GARATTONI

Mãe da Maria Helena, profissional de branding e apaixonada por moda e beleza! Meu blog é o espaço "hora do recreio" no qual divido dicas, inspirações, apostas no universo das it girls e minha vida primeira pessoa na maternidade.

Lifestyle

A {difícil} arte da camiseta básica perfeita: olho nestas marcas!

30 de agosto de 2016

Mas, afinal, o que pode haver de difícil em um item tão, tão simples como a camiseta básica? Pois bem, esta é exatamente a questão! Quanto mais básica uma peça, mais a qualidade – ou falta dela – tende a aparecer. E mais: é por ser uma roupa sem muito espaço para criatividade que aquela bossa, aquele algo mais indefinível, faz TODA diferença. Se você também é do time que não dispensa o uniforme democrático jeans + t-shirt, olho nas coleções destas três marcas {e em suas modelagens, em seus recursos de styling…}. Básico sim, bobo jamais!

camiseta básica Anine Bing

ANINE BING
A marca da ex-modelo dinamarquesa nasceu em Los Angeles e, nos últimos meses, ganhou sete filiais na Europa. E Anine é a personificação do estilo jeans e camiseta com bossa – seu uniforme do dia a dia nunca, nunca fica sem graça! Vale apostar nos modelos navalhados (que abriu este post na imagem acima), na gola V meio propositalmente “esgarçada” e na modelagem muscle, com braços 100% de fora e cavas mais abertas!

anine bing

LUDIK
A novíssima marca própria do e-commerce Style Market segue esta proposta do básico com um toque extra final! Amo as peças no estilo destruído, que misturam o corte de navalha na gola a furos por toda a camiseta.

Ludik Style Market

GALA BASIC WEAR
Eis uma marca que, desde que foi lançada, sempre aparece por aqui: suas coleções levam a sério o mix de materiais de boa qualidade, modelagens super atemporais e um quê a mais, que pode vir em uma estampa de listras (amo todas!) ou num tom bordô. Taí uma linha que dá vontade de colecionar, uniforme mesmo!

Gala Basic Wear

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Lifestyle

O que eu aprendi sobre botox – e por que (finalmente) aderi

25 de agosto de 2016

Por quase dez anos, eu não entendia exatamente essa famosa cena do primeiro filme Sex and the City, na qual Samantha Jones comparava botox ao casamento – com a conclusão de que o primeiro sempre funcionava! Não conseguia alcançar por que tantas falavam maravilhas e, principalmente, tinha nas minhas crenças pessoais apenas aqueles casos extremos no qual mulheres perdem o limite e viram verdadeiros bonecos de cera sem expressão. E, admito, enquanto eu achava que botox servia apenas para evitar as temidas rugas causadas por marcas de expressão, tinha certeza de que atravessaria minha existência sem jamais experimentar. Até que…

samantha jones botox

Todas as mulheres da minha família, em todas as idades, têm – em níveis níveis de intensidade – a pálpebra direita mais caída. Claro que é algo que piora com a passagem do tempo, mas trata-se de uma questão hereditária que causa a desproporção direta entre os dois olhos. De um tempo pra cá, isso começou a me incomodar MUITO, mas eu sempre tive medo de (já) encarar uma cirurgia na região. Foi quando uma prima me contou que vinha consertando o nosso defeitinho de fabricação com botox. Fiquei com isso na cabeça e levei a dúvida para minha dermatolgista na visita anual. Pois no mesmo dia aplicamos a dose!

botox ale garattoni

E o antes e depois, que mostro neste post, superou todas as minhas expectativas. Como tinha contado neste teaser lá na página do Facebook, eu sigo contra exageros em busca de uma inatingível perfeição. Mas, por outro lado, acredito que sempre vale a pena contar com algo que vá melhorar sua auto-estima e fazer você se sentir melhor. A aplicação levanta-pálpebras {minha dermato me “abriu os olhos”, literalmente!}, mais do que resolver minha desproporção incômoda, me deixou com aparência mais descansada. Não vivo mais sem!

antes e depois botox pálpebras

Sobre o tema botox, divido cinco dicas do que aprendi…

1) Por mais simples e difundida que seja este técnica hoje em dia, não dá para banalizar, é um procedimento: busque um bom médico de confiança que trabalhe com bons materiais, não faça em qualquer lugar.

2) O profissional, aliás, é um ótimo termômetro: não dá para confiar que a pessoa vá te proteger de exageros quando ela própria passou do ponto (e eu recomendo fortemente alguém que te proteja de exageros, porque o primeiro resultado é tão empolgante que a gente corre o risco de querer fazer sempre).

3) O resultado leva duas semanas para aparecer, tenha paciência! A ansiedade pode fazer parecer que é preciso aplicar mais, mas segure a onda; muitos exageros acontecem por isso.

4) A melhor definição que já li sobre botox é uma comparação da pele com roupa amassada – o botox não é um ferro de passar que tira o amassado, ele apenas é uma técnica que não deixa que amarrote.

5) Sim, além dos tão comentados objetivos de paralisar a expressão que causa rugas (como as da testa e a super comum entre sobrancelhas), o botox pode ser ótima pedida para levantar um pouco pálpebras e, assim, evitar a necessidade de cirurgias para quem (como eu) se incomoda com isso.

Em tempo: fiz meu botox com a dra. Renata Oshiro, dermatologista que há exatos quatro anos é a pessoa que cuida de tudo na minha pele – e que me preparou/prepara muito bem para esta minha “chegada aos 40”! A TRE Dermatologia {sobre a qual já escrevi algumas vezes e que tem também a melhor limpeza de pele do mundo} fica em SP e o telefone é (11) 3845-4477.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Lifestyle

O que Anna Wintour achou de o Diabo Veste Prada

22 de agosto de 2016

Mais de dez anos se passaram desde o lançamento do livro-que-virou-filme O Diabo Veste Prada (dá pra acreditar?!) e, finalmente, Anna Wintour – a suposta inspiração do personagem central da trama – foi ouvida a respeito! O veredito da poderosa diretora da Vogue americana aparece em cena do ótimo First Monday in May, documentário que narra a produção do Baile de Gala do Met em 2015.

Miranda Priestley

Perguntada “na lata” sobre o que teria achado da história publicada por Lauren Weisberger, sua ex-assistente pessoal, Anna surpreendeu: “Ela (Lauren) trouxe atenção para o mercado de moda. Posso olhar por um lado negativo ou por um lado positivo e eu escolhi o positivo. Sob alguns aspectos, eu acho que preciso ser grata a ela!”, resumiu, encerrando qualquer possível tabu entre seu nome e a polêmica narrativa de sua personalidade de chefe difícil.

Anna Wintour

Em tempo: First Monday in May, cujo trailer você já tinha visto aqui neste post, acaba de chegar ao iTunes (apenas disponível para contas americanas, por enquanto) e é ótima pedida para quem gosta de moda. O documentário mostra os bastidores do antes e durante a grande noite da festa que é considerada o tapete vermelho mais importante dos fashionistas do planeta. Assisti neste domingo (21.08) e recomendo!
p.s. curiosidade aleatória – Anne Hathaway e Emily Blunt, que interpretaram as assistentes de Anna/Miranda em O Diabo Veste Prada, ganham citações e cenas como convidadas especiais do baile!

First Monday in May

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…