ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Emprego dos Sonhos

Os erros e acertos da minha carreira profissional

12 de dezembro de 2014

Conselho é uma forma de nostalgia. Dar conselho
é uma forma de resgatar o passado do lixo, esfregá-lo,
repintar as partes feias e reciclar tudo por mais do que vale.

Já diz este trecho daquele famoso texto-vídeo do filtro solar: de certa forma, a gente gosta de dar conselho porque esta é uma forma de voltar lá atrás e reciclar escolhas, atitudes, comportamentos. Eu não sou diferente e, com frequência, sinto voltade de pegar pela mão jovens impulsivos – que no fundo misturam atrevimento com insegurança na mesma medida – que me lembram muito da Ale de vinte e poucos anos que eu fui. Porque, ao longo da nossa caminhada profissional, não importa quanto se tem de talento, disciplina ou dedicação, é preciso ser político, é preciso ter paciência, é preciso entender que o mundo gira numa determinada velocidade, independente da nossa pressa.

Eu já contei minha trajetória ano a ano no livro Emprego dos Sonhos, já mostrei meus tropeços impulsivos neste texto no Facebook, mas hoje posto os erros e acertos que me acompanharam nos últimos 15 anos (!!!). E que, sob muitos aspectos, explicam, positiva e negativamente, ‘o que eu vou ser quando crescer’…

erros e acertos da carreira

ERREI… comecei tarde!
Tinha 27 anos no meu primeiro emprego – excluindo uma ‘incursão’ de dois meses numa empresa e um ano e meio quase-hobby como vendedora. Estava às vésperas dos 30 quando vim para São Paulo. Até vejo alguns pontos positivos nisso, mas certamente faria diferente se pudesse. E não deixaria que namoros & afins me prendessem em uma cidade, em uma realidade, em uma decisão.

ACERTEI… segurei meu espírito empreendedor!
É difícil “trabalhar para os outros” quando se quer ter, digamos, uma carreira solo. Mas é preciso. Tem muita gente talentosa que empaca no crescimento porque quer pular a parte de fazer currículo e ganhar experiência. Claro que há exceções, mas, em linhas gerais, uns anos de vivência como funcionário são fundamentais!

ERREI… fui impulsiva querendo mudanças rápidas!
A vergonha que eu tenho quando lembro que, aos recém-completados 24 anos, sem nenhuma experiência – de carreira nem de vida! –, sentei com minha petulância jovem na frente de diretores da H.Stern e pedi pra mudar de área depois de um mês e pouco de empresa… nossa, não cabe em mim! Queria lembrar os nomes dos envolvidos para mandar um bilhete de desculpas e umas flores de agradecimento por terem me colocado no meu lugarzinho ao aceitar meu pedido de demissão.

ACERTEI… acumulei experiências diferentes!
Eu demorei a saber ‘o que fazer quando crescer’. Aliás, 100% de certeza acho que nem hoje eu tenho! Mas aproveitei o lado bom desta inconstância para experimentar muito, tudo. Foi esse passeio entre áreas e funções diferentes que me deu embasamento para muitas coisas…

ERREI… tentei uma sociedade antes de ter maturidade para isso!
Quem diz que casamento é complicado e que maternidade é difícil nunca tentou uma sociedade! Crua, mimada, impulsiva e imatura, não segurei nem seis meses nessa.

Diabo Veste Prada

ACERTEI… exercitei minha humildade!
Acatei ordens com as quais não concordava, cumpri tarefas que não eram minhas, encarei broncas que não eram pra mim. Aceitei salários simbólicos e trabalhei duro como se tivesse bônus milionários, mantive como imaginárias respostas que vinham à mente, me recolhi, fiz o meu. É só respirar e contar até dez, um dia isso passa.

ERREI… deixei de engolir alguns sapos!
Não importa quanta experiência (talento, importância…) você tem: nunca chega a hora em que os sapos podem ser 100% tirados da sua dieta. Simples assim.

ACERTEI… abri mão!
De réveillons (data que eu mais amava quando era solteira), de fins de semana, de horas de sono, de liberdade. Durante tempos e tempos, eu dormia com o nextel dentro do travesseiro – até hoje não consigo ouvir aquele bipe característico! E quer saber? Ainda bem que eu abri mão, passa tão rápido.

ERREI… quando pedi demissão em vez de tentar um plano de carreira!
Nem sei se isso faria sentido para aquela empresa, para aquele chefe, para aquela época. Mas eu hoje acho que demissão é, no geral, tipo divórcio: deve-se esgotar todas as possibilidades e tentativas antes desta cartada final.

ACERTEI… coloquei tudo no liquidificador!
Guardei literalmente um pouquinho de todas as experiências que tive e vivi para construir – e entender – o que faz sentido pra mim. Do ano como vendedora de loja ao lado business que quase não é percebido (pelos outros!) quando se trabalha em uma redação, tudo, tudo me serviu de ensinamento. Olhos abertos, habilidade de esponja sempre ativada e exercício diário de obervação foram minhas melhores faculdades.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

  1. Thaís Gomes Em 12/12/2014

    Ale, que post inspirador! Muito bom ler seu post e vê-la dividir tudo isto com a gente. Ao ver sua história, é impossível não parar para pensar na nossa própria trajetória profissional, sabia? Você me proporcionou uma volta ao passado bem diferente a partir de suas experiências. Parabéns pelo texto!




  2. Fê Gonçalves Em 12/12/2014

    Ale, fui lendo o post e relembrando os meus erros e acertos profissionais. Aliás, me identifiquei com você em muitos!!! Beijos




  3. Daniela Em 12/12/2014

    Nossa! Texto muito bom! Amei! Me fez refletir sobre a minha própria trajetória… Obrigada!




  4. Andrea Pavlovitsch Em 12/12/2014

    Ale, você me fez pensar. Estou em um periodo de mudanças e acho que também preciso de um exercício de passado assim. De qualquer maneira, nossos erros e acertos estão sempre certos, porque nos fazem quem nos somos!! Parabéns




  5. Suelen Teixeira Em 12/12/2014

    Muito obrigada por compartilhar essas experiências conosco. Gostei muito de ler esse texto, me vi em algumas partes dele, nos erros mas nos acertos também. Ainda estou no início mas já tenho tanta dentro de mim (todos tem, não é mesmo?) Amo suas dicas de carreira, e aquele meu e-mail que você respondeu me ajudeou demais. Obrigada!




  6. Pá. Em 12/12/2014

    Alê, essas análises são ótimas… e como olhar pra trás dá orgulho de diversos aspectos e master vergonhas de alguns momentos, né?
    Beijos, Pá.
    @papalombo




  7. Viajante Aleatorio Em 12/12/2014

    AMEI




  8. Danielle Pappini Em 12/12/2014

    Nossa Ale! Parabéns! Me identifiquei muito com este post. Já errei tanto, já acertei bastante também e o mais importante é o que o aprendi e aprendo diariamente. Muito obrigada por proporcionar as suas leitoras (aos seus leitores) informações tão gostosas e úteis, que fazem a gente repensar nossa vida pessoal e profissional, buscando sempre aprender, crescer e buscar melhorar cada vez mais.

    P.S: Preciso aprender a ser organizada como você! URGENTE!!!!rs Amo seus posts de listas e metas e afins…

    Beijos




  9. Nair Dias Em 13/12/2014

    Não sou muito de comentar por aqui, mas não poderia deixar de te parabenizar, pelo post bem elaborado, e por compartilhar sua experiência. Foi bem interessante, principalmente pra mim, que tenho 19 e estou começando a dá meus primeiros passos profissionais agora! Parabéns Ale!




  10. Acácio Souto Em 28/01/2015

    Ual, vejo que seu target é, em maioria, feminino! Porém, encontrei por acaso o seu blog, pesquisando planilhas pessoais e, depois de ler 3 outros artigos que não tinham nada a ver, já estou em “os erros e acertos da minha carreira”. ótimo textos! Parabéns. Gostei de seu blog. Ah, agora vou voltar a buscar planilhas na internet hahaha você, com seus textos úteis, me tirou do foco.




  11. Nubia Em 19/02/2015

    Ale, vc não imagina o quanto esse post me ajudou… tem dias que tenho vontade de sair correndo. Me identifico quando vc falou que ouviu broncas que não eram para vc, trabalhou como se houvessem bônus milionários… to aqui sonhando com o dia que vou colher os frutos de tudo isso!
    Abs!




  12. Michelle Oliveira Em 02/08/2015

    Foi muito bem ler esse post, e saber que alguém já passou pelo que estou passando. Já to entrando na casa dos 27 e ainda não sei para que vim ao mundo. Sempre trabalhei muito, mas até hoje sinto que ainda não me encontrei profissionalmente. Fico aqui diariamente pensando em alternativas, formas de seguir em frente, mas não chego a conclusões. Espero conseguir superar essa fase, assim como você superou.




Deixe seu Comentário