ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Amo Branding

Os dez mandamentos do bom blogueiro

21 de fevereiro de 2015

Já começo o post explicando que, embora a lista abaixo tenha sido escrita por mim, não fui eu que criei regra nenhuma! A analogia aos dez mandamentos é uma brincadeira e a relação de quesitos é só fruto de observação, tentativas e erros em mais de dez anos blogando. Algumas destas questões são mais óbvias e fáceis, outras pedem um exercício diário (inclusive pra mim, vale dizer!). Mas levá-las em conta pode fazer bem a sua página…

dez mandamentos do blogueiro

NÃO INDICARÁS BLOGS ESPERANDO RECIPROCIDADE
Estamos vivendo a geração do sigo-de-volta-troco-likes! A gente indica links e blogs porque eles são interessantes – e é indicado pela mesma razão.

NÃO DISPENSARÁS BOM CONTEÚDO POR ‘CIUMINHO’
Muitas vezes a gente vai sentir ciúme e/ou desprestígio por ter indicado um lançamento e ver todo mundo – menos você – ganhando a peça em questão e/ou qualquer outro tipo de convite ou vantagem. Mas lembre-se que o que é interessante é interessante (e o que é interessante é conteúdo pro bom blogueiro). Mesmo que a marca nunca te prestigie, faça o exercício diário de entender que para blogar bem não se espera nada em troca.

NÃO SERÁS IRRESPONSÁVEL NAS CRÍTICAS
Nada de levar pro pessoal e, antes de falar mal de uma empresa, jamais deixe de pesquisar para separar uma eventual falta de sorte de um padrão de fato ruim. Quando a gente tem um veículo nas mãos – seja um blog ou um grande jornal – precisa entender a responsabilidade que é publicar algo!

NÃO SE DESMOTIVARÁS PELA GRAMA MAIS VERDE DO VIZINHO
Sim, olhe para a concorrência, mas compita apenas com você mesmo – tente melhorar os SEUS números, superar os SEUS rankings, aumentar a SUA audiência! E nunca deixe de ler e reler este texto sobre os parâmetros irreais da internet.

NÃO COPIARÁS CONTEÚDO
O copy & paste, além de nada ético, é péssimo para o SEO do seu site. E isso afetará a quantidades de visitas que o Google pode te trazer.

NÃO DISPENSARÁS O BOM E VELHO BLOGROLL
Cada vez mais em desuso, a lista de favoritos na lateral de um blog é mais que uma indicação para os outros blogueiros. Ele ajuda a mostrar, por meio da sua curadoria, qual a cara da sua marca pessoal.

NÃO SERÁS DESONESTO NA QUESTÃO COMERCIAL
Comercializar o blog e ganhar dinheiro com esse trabalho que dá trabalho é justo e merecido. Mas, embora algumas pessoas não saibam, não dói marcar #publi quando há algum envolvimento comercial. E a classe toda agradece (se todo mundo respeitar isso, ninguém mais vai sair desconfiando de publi disfarçado em qualquer elogio publicado).

NÃO IGNORARÁS A IMPORTÂNCIA DO NETWORKING
Fazer contatos online e offline sempre ajuda. Mas lembre-se sempre da regra número um do bom networking: não seja interesseiro!

NÃO BLOGARÁS SÓ DE OLHO EM CONSEQUÊNCIAS
Para empreender ou para blogar, a primeira pergunta que a gente deve se fazer é “eu faria isso mesmo que não ganhasse nada em troca?”. Se a resposta for sim, você tem paixão de verdade. E ter paixão de verdade é o que mais importa.

NÃO DESISTIRÁS!
Criar altas expectativas e pensar em retornos rápidos traz desânimo – por isso o item acima é tão importante, ele é o antídoto contra qualquer decepção. Mas se quer ver seu blog crescer, entenda que persistência é a alma do negócio. E que foi ela que permitiu que grandes blogueiras tenham se tornado grandes blogueiras (como muitas vezes só conhecemos as histórias depois que elas já estão em alta, não sabemos o tanto que se fez e se persistiu até chegar à meta final).

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

  1. ANA CAROLINA Em 21/02/2015

    Alê, de fato a profissão de blogueiro deve dar muito trabalho, principalmente quando feita com seriedade e não só “oba oba”. O que tenho visto são blogs apenas com publis (identificados ou não) e sem conteúdo nenhum. Blogueiras viajando e fazendo mil propagandas e o blog sem nada a acrescentar. Eu adoro ver um look do dia, adoro indicações de marcas, de lojas de restaurantes, etc, mas acho que os blogs de um modo geral estão passando dos limites. Eu espero que daqui a algum tempo (pouco de preferência, rs) seja encontrado um meio termo né? Agora quanto ao seu blog não tenho do que reclamar. Acho super profissional, vê-se que é feito com dedicação, cuidado e empenho, conteúdos interessantíssimos! Olha que eu ainda nem sou mão, mas acredito que uma boa leitura é sempre bem vinda! Parabéns pelo seu blog e pela sua maneira de se portar. Continue assim! Grande beijo




  2. Bruna Em 21/02/2015

    Oi, Ale, eu aqui de novo! Sabe que espero os sábados pra ler seu post de dicas sobre blogs, pois sempre aprendo algo, relembro ou percebo o que pode estar errado no meu próprio.

    Eu concordo com todos os itens, mas confesso que muitas vezes tenho dificuldades com “não se desmotivará pela grama mais verde do vizinho”. Não é inveja, não é desmerecer o outro, não é torcer para que o outro não dê certo – como sabemos, a internet tem espaço e público para todos – é mais um sentimento de querer alcançar aquele mesmo “sucesso” e, muitas vezes, parecer que não vou conseguir, sabe?! Parecer que “todo mundo” lê e adora aquele blog e querer muito seguir o mesmo caminho, mas achar que não tem chance, não é fácil, que o empenho não vale, etc.

    O “Não desistirás!” é muito, muito importante. É fundamental ser persistente. Sabe, a minha história com meu blog é um tanto curiosa. Resumindo: comecei a blogar em 2009, num período que estava muito doente e de licença do trabalho por 3 meses. Eu simplesmente amava isso, amava (amo, né) esse mundo virtual e me dedicava totalmente. Ajudou muito com meu problema também. Aí que por absoluta falta de tempo, tive realmente que parar em 2010, foi quase um parto. Aí final de 2013, meu problema retornou e do que me socorri? Blog! Voltei com ele, remanejei, amadureci, me recuperei novamente. Entretanto, vi uma blogosfera bem mais impessoal e comercial, o que foi bem desanimador. E sempre tenho na cabeça que se eu não tivesse desistido naquela época, provavelmente teria acompanhado a evolução blogueira sem nem perceber e meu blog estaria muito mais bem divulgado (acredito eu). Mas, enfim, foi só pra ilustrar que quem desiste pode se arrepender muito e se realmente amamos, temos que bater o pé e dar um jeito de continuar e dar o melhor de nós.

    Agora (preciso parar de escrever, já tá uma bíblia esse comentário), uma coisinha acho que poderia ser acrescentada a essa lista: humildade e interação! Humildade por motivos óbvios e interação porque né, difícil alguém fazer uma conta no wordpress, ter um blog incrível, mas não interagir com ninguém, não conquistar público. Digo mais: a interação é gostosa e vale tanto à pena, que às vezes fazemos amigos pra vida inteira 🙂

    Sorry pelo big comentário, é que adorei o post e super me animou a repensar em vários pontos do meu blog.

    Beijão!

    Oi Bru!
    O que você sente é normal e humano, só não permita que isso te desestimule nunca! E sobre o “e se eu não tivesse parado”… tente não pensar nisso! Cresci ouvindo minha mãe dizer que “o melhor caminho é sempre o que a gente não pegou”, algo que se complementa com uma frase que ouvi da Monica Martelli há uns anos e amei: “o que não foi vivido é imbatível”! Ou seja, o hipotético é ruim e tende a nos trazer uma sensação ruim, então temos que acreditar que o melhor é o agora, do jeito que está!
    E não acredito que pulei a parte de citar a interação/engajamento. Isso estava no rascunho, mas como acabei fazendo boa parte do post meio correndo enquanto brincava com MH ao mesmo tempo, acabei esquecendo de por essa parte (importantíssima e muito rica pros dois lados). Obrigada por acrescentar!
    E tá doida?! Eu AMEI seu comentário e AMO comentários gigantes!
    bjobjo




  3. Bruna Em 21/02/2015

    Menina, vi que o comentário ficou imenso, se não quiser, não precisa aprovar, tá?! hahaha




  4. Gabriela Em 22/02/2015

    Ale, o que te fez interromper a coluna que vc tinha no site da glamour? Foi super esperado e no final durou tão pouco que eu não consegui ler nada 🙁

    Oi Gabriela,
    mas eu nunca tive uma coluna no site da Glamour (faria um blog extra hospedado no site deles, mas o projeto dos blogs acabou não seguindo em frente – não apenas o meu!)! Também participei das reuniões de pauta pré-lançamento com sugestões do tema “mercado de trabalho” e assinei matérias nas três primeiras edições da revista. Amo fazer revista, mas não é uma coisa que eu consiga encaixar na minha vida agora, com filha pequena e uma empresa!
    bjobjo




  5. Fê Gonçalves Em 23/02/2015

    Oi Ale, amei esse post, ele é totalmente verdadeiro. Obrigada por nos incentivar a fazer sempre o melhor trabalho!! Um beijo e boa semana <3




  6. gabriela Em 23/02/2015

    Entendi. Uma pena, seria interessante ver vc e a Monica Salgado trabalhando juntas, imagino que teríamos frutos muito ricos dessa parceria.
    Abraço,




  7. Gabriela Em 23/02/2015

    Acho que o principal mandamento seria blogar por amor!




  8. Roberta Maia Em 23/02/2015

    Amei o post!! Irretocável, eu diria ainda, como mais uma tarada por branding, que coerência é importante também.

    O blog é uma vitrine, onde a gente pode mostrar nosso pior e nosso melhor. Claro que temos mais aptidões por determinadas áreas e menos por outras. Mas se atentar para um texto bem escrito (né Alê?) e um design impecável, aliado a usabilidade do site, é imprescindível. Tanto que uma das profissões mais em alta hoje no mercado é Produção Editoral, ou seja, o profissional que vai ser capaz de deixar todo o conteúdo lindo!!

    E coerência sobretudo com a pessoa que está por trás escrevendo, quando a gente conhece uma blogueira na vida real e não consegue assimilar com aquela que nos escreve, é muito triste!

    VERDADE SEMPRE!

    um beijo!

    Beta




  9. Manuela Em 23/02/2015

    “Para empreender ou para blogar, a primeira pergunta que a gente deve se fazer é “eu faria isso mesmo que não ganhasse nada em troca?”. Se a resposta for sim, você tem paixão de verdade.”

    Que bom ler uma coisa dessa. ^^




  10. AMANDA ALMEIDA Em 25/02/2015

    Oi Alessandra, tudo bem?
    Gostei de mais dessa postagem, e concordo com tudo. A blogesfera está diferente, mas não há como negar a necessidade de algumas regras básicas. Acredito que todos que estiverem ou há muito tempo na estrada ou começando, deveriam prestar bastante atenção quanto a estes mandamentos.
    Abraços,
    Amanda Almeida




  11. Ludmilla Em 25/02/2015

    Oi Ale,
    Eu não sei se você leu esse post, mas lembrei de você e de todos os seus “posts” sobre branding.

    http://www.theblondesalad.com/2015/02/harvard.html

    Ahh, obrigada! Não tinha visto, mas vi no instagram que ela foi a Harvard – e por coincidência o post de amanhã é sobre Emily Weiss, que também esteve há alguns dias em Harvard para falar de criação de marca! Vou ler!
    bjobj
    o




  12. Laura Em 02/03/2015

    Procuro seguir esses mandamentos diariamente. De todos, a meu ver, o mais importante é analisar se vale a pena mesmo sem ganhar nada em troca.
    No meu caso posso afirmar que vale e muito!

    Beijos




  13. Amanda Ribeiro Em 02/03/2015

    Muito bom. Paixão é essencial, os blogs que me encantam e trazem de volta a minha visita, são aqueles que eu percebo a paixão da pessoa que escreve sem interesse em retorno financeiro. Hoje tem uma saturação de blogs puramente comerciais que estão cansando e o leitor não é bobo, ele percebe.




  14. Carolina Leal Em 12/03/2015

    Oi Ale, tudo bem?
    É minha primeira vez aqui, mas já amei! Conheci teu blog por indicação de uma amiga e virei fã!
    Concordo com tudo o que escreveu, blogar antes de ser um trabalho tem que ser uma paixão, pois você precisará sempre ler, pesquisar e estudar para que saia um post e a audiência aumente. Não basta apenas fazer por fazer, pois assim chegará uma hora que ninguém mais irá querer te acompanhar.

    Vou usar esses 10 mandamentos para a vida! São sempre essas coisas triviais que acabam passando desapercebidos.

    Um beijo e até os próximos posts! 🙂




Deixe seu Comentário