Blog 'It Girls'



Leituras de março: moda, beleza e negócios

por Alessandra Garattoni em 30 de março de 2015
tags: , , ,

Março é, ao lado de setembro, o mês que mais compro revistas físicas – por ser edição de início de temporada nas edições gringas, acabo preferindo as impressas às versões para iPad. Neste ano, exagerei e juntei uma quantidade considerável de publicações de moda e negócios. Admito que não acabei de ler todas {até setembro eu termino!}, mas resolvi fazer ainda assim mais uma edição do post com dicas pescadas nas minhas leituras de março, a exemplo do que eu havia feito em janeiro {acham bacana este tipo de post com apanhado do que andei lendo?!}.

LOJA BENEFIT NO SHOPPING HIGIENÓPOLIS
A marca de beleza mais divertida do mundo abre sua primeira loja própria no Brasil. A inauguração está prevista para meados de abril no shopping Higienópolis.

loja Benefit

BIJOUX DESEJO POR CAIO VINÍCIUS
Obcecada. Assim fiquei pelas criações do designer pernambucano Caio Vinícius, que começam a aparecer em várias publicações. Nada minimalistas e cheias de personalidade, as peças da coleção Surrealismo Selvagem fazem jus ao nome e estão à venda no site da marca.

Bijoux Caio Vinícius

BOLSA BUCKET NO ADO ATELIER
Já tinha lido sobre a marca mineira de acessórios e, desta vez, curti sua versão para a bolsa balde hit da vez. É uma boa alternativa para quem quer aderir à tendência sem gastar taaanto quanto gastaria em uma marca mais estrelada (custa R$ 399 e vende aqui no site da Ado Atelier).

bolsa Ado Atelier

MUNDO CRIATIVO, EMPREENDEDORISMO DE MODA
Estreia no dia 6 de abril o novo programa de Maria Prata na Globo News. Na pauta, o empreendedorismo na moda é parte das matérias focada em boas ideias que geram negócios criativos. Às segundas, às 23h!

Mundo Criativo

CURSO EXAME PME 2015
No ano passado, assisti – e escrevi sobre – às palestras do curso Exame PME, que tem foco em pequenos e médios negócios. Me inscrevi novamente para a edição 2015, que acontece na próxima semana em São Paulo. Se você também é empreendedor e se interessou, dá pra ver a programação completa {e se matricular} no aqui no site oficial do evento.

curso Exame PME

MULHER QUERO-SER: CAMPANHA PULSEIRAS TIFFANY T
Claro que as joias da marca ajudam qualquer produção, mas esta imagem da campanha da linha de pulseiras da Tiffany & Co traduz exatamente meu conceito de elegância: camisa de seda, alfaiataria, poucos acessórios, NY ao fundo…. Foi direto para minha pastinha de moda no Pinterest {já está me acompanhando por lá?!}.

campanha Tiffany



Você vai gostar também...


A marca que é a alternativa {mais discreta} à Hermès

por Alessandra Garattoni em 25 de março de 2015
tags: , , ,

A primeira vez que vi – e ouvi falar de – uma bolsa Moynat foi, há uns três anos, nos ombros de Sarah Lerfel, a visionária fundadora da Colette, multimarcas francesa que é considerada uma das lojas mais cool do mundo. A marca, aliás, é um resumo de tudo aquilo que a gente sempre lê sobre o estilo das francesas: atemporal, clássica, não-reconhecível, exclusiva, livre de logos aparentes… uma bolsa menos óbvia, para resgatar esta tag que andava esquecida aqui no blog!

Moynat Réjane

Sarah, por conta de seu trabalho à frente da Colette, tem acesso ao que há de mais bacana e exclusivo na moda, então seu radar é sempre poderoso e deve ser levado em conta. Não lembro mais qual modelo ela usava na foto do instagram que me inspirou para este post (com enorme delay!), mas, hoje, re-pesquisando sobre a marca, elegi a Réjane como minhas favorita – é esta que ilustra o post.

Moynat Réjane

Curiosidade extra? A Moynat foi fundada em 1849, mas foi fechada nos anos 80 e só voltou em 2011, pouco depois de ser comprada pela LVMH – grupo da Vuitton. Nos bastidores, há quem diga que a aquisição é reflexo do desejo de Bernard Arnault {dono do grupo} de ter ‘sua própria Hermès’.
Em tempo: os preços não deixam muito a dever à Hermès. A Réjane é vendida por, no mínimo, 3.200 euros (!!!), valor do modelo pequeno. Mas, ao menos por enquanto, tem a vantagem de, ao contrário de Birkins, ser tão exclusiva como seu preço!

Moynat Paris



Você vai gostar também...


À prova de dólar: produtos de beleza made in Brazil

por Alessandra Garattoni em 24 de março de 2015
tags:

O dólar tá subindo, tá subindo… e uma das consequências superficiais deste fato {este não é um blog de política nem economia, logo é esta a consequência que vira pauta!} é que produtos de beleza importados vão dobrar de preço no fim das contas. Inspirada por isso, fui pesquisar com as assessorias quais marcas de beauté têm produção 100% nacional. Por serem itens produzidos no país, estão, portanto, menos suscetíveis à instabilidade cambial. Selecionei meus favoritos entre os que me foram indicados – os eleitos são os best-sellers de cada uma das cinco marcas citadas. Vamos à farmácia mais próxima?!

produtos de beleza made in brazil

Sabonete Líquido Puriance, Profuse: promete remover a oleosidade com ação calmante e  pH fisiológico – ou seja, super levinho! A sensação pós-limpeza, garante a bula, é refrescante (R$ 41,47).

Loção Beatriz, Dermatus: é o produto mais vendido da prestigiada marca carioca, que começou em 1978 como uma farmácia de manipulação em Copacabana. O tônico facial tem efeito peeling – um mix de esfoliação, ação calmante e anti-inflamatória e efeito refrescante. Promete clarear e melhorar a textura da pele (R$ 163,50). 

Luminate, Best Bronze: o iluminador corporal – que pode ser usado também nos cabelos – tem toque seco e garante, além de hidratação, brilho dourado discreto pós-aplicação. A melhor parte? Não precisa espalhar, basta borrifar e esperar secar!

Shampoo e Ultra-Condicionador Control Total, Matrix: a marca americana do grupo L’Oréal lançou no fim do ano passado sua linha 100% desenvolvida no Brasil. À base de oleo de babaçu, é indicada para cabelos volumosos e com frizz (R$ 40,42 e R$ 47,47).

Esmalte, BeautyColor: a marca que já é a quarta mais vendida do país no mercado de esmaltes lançou coleção com a cantora Claudia Leitte. Promete altíssima durabilidade, secagem sápida e brilho – este vermelho metalizado foi meu favorito da linha (R$ 3,35)!

Quem já testou algum destes? Indicações de mais marcas legais com produção nacional? Os comentários estão abertos e sugestões ‘à prova de dólar’ são muito bem-vindas!



Você vai gostar também...