ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Primeira Pessoa

A {minha} fórmula anti-ansiedade em 2016: livros que curam!

19 de julho de 2016

Taí um post que estava rascunhado há semanas no meu computador, com uma espécie de bloqueio criativo para ser desenvolvido. Posterguei, reconsiderei, avaliei mil vezes se deveria seguir em frente ou deletar de vez qualquer linha pré-listada. Um lado pensa que ninguém vai querer ler tamanho texto de Itu sobre mim, mas outro teme que alguém venha de fato a ler – por ser algo tão íntimo, pessoal, que expõe tanto uma vulnerabilidade. Mas a ideia de colocar para fora e, quem sabe, fazer com que as ações e referências que me ajudaram possam ajudar uma única pessoa já me sacudia suficientemente. E lá vim eu…!
p.s. leiam com carinho! 😉

Uma rápida introdução para situar o começo de tudo: em 2015, eu, para evitar “arrumações na casa”, acelerei demais, trabalhei demais, comprei demais. O resultado disso? Minha ansiedade, que sempre esteve presente na minha personalidade, foi a níveis incômodos. E foi assim que eu comecei este ano, ansiosa, de uma maneira que isso atrapalhava o foco e a produtividade. Como já comentei en passant por aqui, foi também nessa virada 2015/16 que me separei e, depois de dez anos, isso – mesmo que feito com toda a leveza e carinho – implica numa reprogramação mental. Ou seja, o primeiro trimestre desse ano foi de crescimento, desafios e autoconhecimento (este último, o antídoto que escolhi para encarar todo o resto). Como converso com amigas e sei que a ansiedade e todos os sentimentos que vêm colados nela são muito comuns nos dias de hoje, vou compartilhar aqui o que me ajudou.

fórmula anti-ansiedade

O COMECINHO DO PROCESSO: OBRIGADA, CONSUELO!
Não desejo prolongar esse assunto, mas uma separação – leve ou dura, com ou sem sentimento, querendo ou não – é sempre difícil. No meu caso, que emendei apenas relacionamentos super-longos desde os 17 anos, era um cenário novo, que pedia a tal reprogramação do cérebro. E isso sempre vai nos chacoalhar, não tem jeito. Tudo isso pra contar que lá atrás li um post sobre divórcio da ótima Consuelo Blocker que veio na hora certa e, entre todas as linhas, me marcou por três dicas que ela apresentava como parte da sua receita: terapia, ler muito e fazer muita ginástica. Troquei a terapia por coaching, ainda sigo com a parte da ginástica na lista de metas imediatas, mas me apeguei com força à leitura. Busquei essencialmente livros de mulheres fortes e inspiradoras. E, como relacionei mais adiante, cada um desses livros lidos me ajudou em uma questão!

A VIRADA DA CHAVE: PENSAMENTO TRANSFORMADOR
Entre todas as mudanças, o incômodo maior vinha da… ansiedade, claro! Taí o mal do nosso século e, com tanto estímulo e informação, a gente fica com dificuldade de manter o foco, fundamental para produzir e ficar bem no geral. Daí que li em algum lugar {e já tentei lembrar onde de todas as formas, mas memória de Dory não conseguiu!} que o nosso grande problema hoje é não querer entrar em contato com a sensação que causa incômodo. No caso, não querer sentir a ansiedade, buscar algo que a elimine como mágica. Nunca houve tantos medicamentos e medicados, os estudos comprovam. Com TODO o respeito e pedindo licença para o que é apenas uma opinião pessoal, eu hoje posso dizer que sou contra a banalização de remédios para ansiedade (atenção à palavra “banalização”, para já evitar mal-entendidos!). Eles aliviam, mas trazem dependência e efeitos colaterais, não acho que em muitos casos se justifique a causa-efeito. Por isso, ler que devemos sim entrar em contato com a dor e senti-la nos ajuda a curá-la foi libertador. Bem-vinda, ansiedade, venha aqui e vamos conversar! Foi assim que passei a, sem pressa, buscar tudo o que podia me trazer a desaceleração.

AS AÇÕES: MINHA RECEITA PESSOAL
Ao me permitir ser ansiosa para poder, então, me livrar da ansiedade, eu relaxei! e comecei a listar as mudanças que eu desejava…
* Coaching: me ajudou a fortalecer meu ideal de propósito e, assim, conseguir ser mais produtiva (produtividade é algo que tem altos e baixos e… tá tudo certo, devagar e sempre!). Também me ajudou a ser menos exigente comigo e mais gentil nas auto-narrativas. Excesso de auto-cobrança aumenta a ansiedade, sabia?
* O poder da lista: fazer a lista de pendências esvazia a cabeça e libera a ansiedade. Aí é só tratar cada tópico como único, cumprindo, pensando e ticando um por vez.
* Mudanças valiosas: buscar alimentos que nos dão mais energia, controlar os horários de sono, ter planos que te alimentam a alma (olha a planilha de metas atualizada!), controlar a reatividade e ser mais tolerante, calma, zen mesmo (um livro em especial ajudou muito nessa parte, veja mais adiante). E chá à noite é um santo remédio também, eu tenho amado o Chá da Nina, que vende na Talchá, em SP.
Também recomendo fortemente – a quem se cobra muito – a “cabular umas aulas”, se permitir mais e, mesmo com uma lista de pendências cheia, largar tudo para assistir a um filme!

AS LEITURAS: LISTA MESINHA DE CABECEIRA
Relaciono aqui um top 5 (que virou top 6 na semana passada) com livros que foram referência mais específica para o assunto tratado aqui no post!

A Arte da Arrumação: o comentadíssimo best-seller de Marie Kondo foi praticamente um ponto de partida para as arrumações – internas e externas – que precisei fazer. Há quem ame (como eu, que contei aqui!), há quem não curta tanto, mas eu acredito que se ele se encaixar no seu momento pode ser transformador (e vai muito além das lições estereotipadas de “jogar tudo fora”!). Comecei hoje a ler o novo da autora, Isso Me Traz Alegria, uma espécie de guia explicativo mais detalhado do método.

Ansiedade: um clássico sobre o tema, eu já havia lido metade um tempo atrás, mas só neste começo de ano eu resolvi reler e seguir até o fim (é leitura rápida, coisa de uns dois dias!). O livro apresenta os motivos que tornam esta geração tão ansiosa e traz sugestões rápidas para aplacar esse modo de vida.

Um Brinde a Isso: outro que eu já tinha indicado aqui, este livro conta a história de uma mulher que se descobriu forte depois dos 40. É deliciosa e apaixonante a história de Betty Halbreich, que se reprogramou depois de um divórcio e até hoje, aos quase noventa anos de idade, dá expediente como personal shopper especial na Bergdorf Goodman. Mostra como todo mundo pode mudar e tomar a dianteira total de sua vida!

GirlBoss: outro que eu já tinha começado a ler um tempão atrás, mas só nesta nova tentativa fui até o fim e consegui me inspirar com lições (acho que o livro meio que “pula capítulos” e acaba, assim, sonegando informações valiosas sobre o processo de construção do império de moda NastyGal – mas segue com dicas úteis). A maneira como a empreendedora Sophia Amoruso se reprogramou, resolveu seguir em frente com força e determinação e encara a importância da excelência no negócio sempre inspira.

Os Quatro Compromissos: no finzinho da lista, um livro que foi decisivo para que eu me tornasse mais compreensiva e menos reativa! Ele foi tema de um dos encontros mensais que minha coach-musa-guru Ana Raia promove para os ex-participantes de seus programas e, em um dia, me transformou! Tipo de livro que, se você permite, entra na sua alma e te sacode de uma vez. Até Gisele Bündchen já disse que ele ajudou em sua escalada. As lições da sabedoria ancestral tolteca se baseiam em como usamos nossa palavra e em como absorvemos a palavra alheia (“não levar nada para o pessoal”, segundo dos quatro compromissos, abriu um novo universo para mim!).

O Ano Em que Disse Sim: para terminar, um livro que li – e falei dele em todas as mídias sociais possíveis! –, amei e mais do que recomendo. Mostra como Shonda Rhimes, a poderosa criadora de Scandal e Grey’s Anatomy, mudou sua vida ao passar a dizer… sim! Perfeito para a gente observar como sair da zona de conforto e aceitar mais as oportunidades pode nos trazer resultados incríveis. Estou ainda engatinhando na “experiência do sim”, longe de ser fácil, viu?!

PRÓXIMOS CAPÍTULOS!
Alguém chegou até aqui?! Devo dizer que o primeiro semestre de 2016 valeu por uns cinco anos para mim e, embora eu ainda tenha MUITAS lições para completar, eu chego aqui bem diferente de como comecei. Satisfeita! Porque eu acredito firmemente que a gente deve buscar melhorar, crescer, aprender. Amadurecer. Daqui em diante, quero finalmente aprender a cozinhar um pouco (o que vai ajudar a melhorar minha alimentação, ainda nada exemplar), engatar na tal liberação de endorfina dos exercícios físicos e começar a meditar e/ou tentar yoga. Com essa fórmula, tenho certeza que a tal ansiedade incômoda vai ser apenas uma mera lembrança.

Se algum desses livros puder ajudar alguém, já valeu a super-exposição da vulnerabilidade!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

  1. Camila Barreto Em 19/07/2016

    Por essas e outras que sou sua fã: além de ser excelente no que faz, é transparente e ao escrever esse texto, abriu portas e mostrou que todas passamos por problemas e a forma que reagimos a ele é que faz toda diferença.
    Força Alê e tamo juntas!




  2. Angélica Maia Em 19/07/2016

    Adorei o post, obrigada por compartilhar esse post tão intiml e valioso, com dicas ótimas!




  3. Milena Gomes Em 19/07/2016

    Amei o ‘textão’, sempre curto quando você escreve textos bem pessoais! Vou colocar na minha lista todos os livros! Beijos




  4. Maria Ribeiro Em 19/07/2016

    Alessandra, você e seus textos incríveis! não vejo a hora que você disponibilize cursos/programas online.




  5. Priscila Em 19/07/2016

    Alê
    Eu li até o fim e por mim se você quiser fazer sempre textos biográficos eu vou ser uma das que sempre vai ler




  6. Hannah Em 19/07/2016

    Alê, amei seu post. Há 3 meses tive uma perda familiar e há 2 semanas fui diagnosticada com transtorno de ansiedade e sintomas de depressão, ou seja, tô tomando remédios pra tentar ajudar. Já coloquei suas indicações na minha lista de leitura!




  7. Andreza Em 19/07/2016

    Alê. Você é demais. Obrigada de coração por compartilhar isso. Um beijo e com certeza vamos deixar que a ansiedade de hoje se torne somente uma lembrança!!




  8. Josy Em 19/07/2016

    Super inspirador!!! Adorei e vou comprar todos…rs
    Estou passando também por um processo transformador e ainda sem rumo….
    Ansiedade eh meu sobrenome…rs
    Obrigada




  9. Natalia Em 19/07/2016

    Eu li tudinho, viu!? E adorei!
    Obrigada por compartilhar, com certeza irei considerar as dicas!




  10. Gabriela Ganem Em 20/07/2016

    Post maravilhoso!




  11. Mariana Em 20/07/2016

    Amei. E me identifiquei. Muito.
    Obrigada por compartilhar.




  12. Samira Dadalto Em 20/07/2016

    Parabéns pelo post maravilhosamente escrito e parabéns também por ter aprendido a lidar e a diminuir a ansiedade. Fiquei com muita vontade de ler Os quatro compromissos.
    Em tempo, acho que ouvi você falando sobre mindset no FB, e como sou curiosa, eu comecei a pesquisar bastante sobre o tema,estou adorando ler sobre e confesso que estou tentando mudar minha forma de pensar sobre várias coisas. Adorei muito essa dica. 🙂




  13. Emilly Em 20/07/2016

    Alê, obrigada por esse texto! Eu precisava de um norte, um pontapé inicial. Se valeu a exposição? Muito.




  14. Aline Em 20/07/2016

    Ale, hoje foi um dos meus dias ruins, pq tem sempre dias ruins e dias bons, né? E queria ler algo que me desse uma motivação pra começar esse dia… logo, pensei no seu blog, pois seus textos sempre me trazem inspiração e uma coisa boa, sabe? E chego aqui e vejo esse texto! Muito obrigada! Pode ter certeza que você acertou em postá-lo!




  15. Deborah Gomes Em 20/07/2016

    Amei…como sempre seus posts me ensinam algo =)




  16. Cindy Em 20/07/2016

    Texto-abraço (amiga, chegue aqui, vamos conversar), daqueles que fazem um monte de fichinhas começarem a cair. Eu, que sou usualmente tão tranquila, nem ao menos tinha me dado conta do quanto ando ansiosa… Obrigada, Ale! Abraço para você também!




  17. Paula Em 20/07/2016

    Ai Alê
    Eu te sigo há mil anos. Eu e minha amiga July. Você posta e a gente comenta. É muito engraçado isso. Nesse momento estou lendo ” o poder do hábito”. Saiba que você é sempre uma referência e pode fazer posts longos que a gente adora! Um beijo!




  18. Lígia Nottingham Em 20/07/2016

    Alê você arrasa muito nos textos. Eu adorei. Pode apostar no textão que ainda tem gente que gosta de boas leituras! Beijos e sucesso.




  19. Maysa Leão Em 20/07/2016

    Post essencial e de grande valia! Obrigada por compartilhar suas descobertas e sentimentos!

    Bjs bjo bjo!




  20. Ana Gabriela Abreu Em 20/07/2016

    Inspirador… Venho passando por isso e realmente a Ansiedade atrapalha muito…

    Obrigada pelo texto 🙂




  21. Rosa Rocha Em 20/07/2016

    Alê,

    Seu blog /site ultrapassa aquela temática monotemática de moda/beleza – eu adoro este assunto, mas não dá pra ficar só nisso- e aborda assuntos de diversos temas com conteúdo extremamente inspiradores, este post é retrato fiel disso.

    Do que li e super concordo (na realidade concordei com tudo) são as questões “autoconhecimento” e “nosso grande problema hoje é não querer entrar em contato com a sensação que causa incômodo”. Na minha opinião a questão “autoconhecimento” é o item mais importante da vida, passamos a vida sem nos conhecer, fazendo coisas que nos desagradam para agradar aos outros, vestimos máscaras, encaramos personagens e abandonamos a nossa essência. Fugimos da dor, do feio, do incorreto, da sombra, mas muitas vezes está no que fugimos a chave para resolver nossas questões.

    Quando a ansiedade que é o sofrimento de todos, pergunto: Não é o mundo que nos faz e quer ansiosos? A sociedade aceita e aprova pessoas calmas, tranquilas, pacificas, que executam atividades no tempo necessário, que assumem que descansam, que gostam de dormir, que são mais lentas perante a aceleração do mundo ? Aceitam ou excluem ?

    Comprei o livro Quatro Compromissos em maio mais ainda não li, passarei na frente.

    Bj,




  22. Ana Carolina Cassolo Em 20/07/2016

    Ale adoro tudo o que escreve. O livro a mágica da arrumação li por sua indicação e ameiiii!! Esses já estão na minha lista. Obrigada. Bjs




  23. Paty Costa Em 20/07/2016

    Alê! Tamo junta amiga! rs
    Esse ano tb está sendo para mim um ano de autoconhecimento, tentando conectar com o meu corpo, minha alma! Tenho percorrido um caminho parecido com o seu, e conclui que meditação vai me ajudar em todos os aspectos da vida. Recentemente li um livro que gostei bastante, se chama Profecia Celestina, do James Redfield. Fala sobre espiritualidade. Quando tiver de bobeira, dá uma pesquisada, acho que vc iria curtir.

    Um beijo grande!




  24. Adriana Em 20/07/2016

    Ale, tem duas pessoas na internet com quem quero envelhecer junto: você e o Christian Barbosa, autor do livro “A Tríade do Tempo”.

    Minha médica disse que o mundo não quer que a gente tenha bons hábitos. Nós é que precisamos reorganizar nossas vidas para caber sono, água, comida caseira, exercício, meditação e manter essa base forte (é o que vai fazer falta lá na frente quando nos depararmos com a questão da longevidade).

    Esse ano, estou me reorganizando também e senti exatamente isso que falou: seis meses = 5 anos.

    ps: gosto mais quando a barrinha e-shops é trocada de 15 em 15 dias. E o livro que você indicou lá “Coisas bem legais…” chegou hoje.




  25. Rosa Rocha Em 20/07/2016

    Ale,

    Vc assistiu Antonny Robbins no Netflix ?? Hã… to por fora, estou pesquisando e não acho.

    Ai, Ale, por que vc não é minha amiga da vida real (daquelas que vou em casa e ficamos conversando até altas horas)?

    Bj,

    Fofa!! Assisti sim, na sexta passada! Procure pelo título “Não Sou Seu Guru”!
    bjobjo




  26. Rogéria Em 20/07/2016

    Seu texto me inspirou a fazer o mesmo: me transformar!
    Livros na lista…
    Bj grande!




  27. Rosa Rocha Em 21/07/2016

    Ale,

    Antes aparecia no blog a opção de responder a algum comentário.
    Não estou achando mais, não existe mais ?
    Bj,




  28. Talita Viana Em 21/07/2016

    Oi Ale! Como sempre, post maravilhoso!
    Já li alguns dos livros que você citou e já anotei outros na Wish List.
    Lendo a frase que você escreveu no início do texto (nosso grande problema hoje é não querer entrar em contato com a sensação que causa incômodo) eu lembrei de um livro que trata exatamente disso. O livro é a Coragem de Ser Imperfeito da Brené Brown, leitura ótima que também foi me indicado em um processo de coaching. Já falei dele no meu blog, caso queira saber detalhes.
    Obrigada por compartilhar seus sentimentos!
    Bjos
    Talita

    Ahhh, agora q vc falou, eu acho que posso ter visto isso no TED da Brené (amo o trabalho dela!!). Obrigada! Estou para começar A Arte da Imperfeição, livro anterior dela, e já quero ler esse também!
    bjobjo




  29. Em 21/07/2016

    Lindo e cheio de sensibilidade… amo seus textos em primeiríssima pessoa!
    Beijos, Pá.




  30. Raquel Em 21/07/2016

    Ótimo texto, Ale! Foi um convite à reflexão sobre a vida. Obrigada!




  31. Betty Rasheed Em 21/07/2016

    Querida Ale,
    Como não ler seus textos até o fim?
    Impossível!
    É pura e total identificação.
    Muitas vezes outros dizem e escrevem o que “nós” gostaríamos de fazê-lo.
    Sucesso sempre!
    bjs




  32. Juliana Caldeira Em 22/07/2016

    Oi, Alê,
    Adorei a sua colocação.
    Posso indicar mais um para a sua listinha? Daqueles livros que valem por anos de divã: “Pense Bem: ideias para reinventar a vida”, do psicanalista Manoel Thomaz Carneiro. Bjos.




  33. Francine Em 23/07/2016

    Li e reli! Vc é sensacional! Escreva sempre sobre suas experiências……




  34. MYLENA Em 25/07/2016

    Amei o texto veio em bom momento, anotei as dicas de livro (já comprei duas dicas suas, um o da organização não terminei, VOU TERMINAR haha). Começando a lista agora :*




  35. Ana Paula Em 26/07/2016

    Alê, antes de mais nada… sou mais uma que leu até o fim!
    E sinceramente, fiquei com gostinho de quero mais. Me vi no seu texto, na sua forma de escrever e de tentar desligar a ansiedade. Estou aprendendo a duras penas a “cabular algumas aulas”, e quer saber, não tem bicho papão para me pegar, nem homem do saco me esperando no final (só um pouco de trabalho extra)! Desligar a ansiedade é um trabalho árduo e diário para quem é super controladora e se cobra de tudo. A gente chega lá… com livros, chás, aulas cabuladas e muita yoga! (já até escrevi sobre isto no blog – coincidência ou transmissão de pensamento? rsrs).
    Beijo no coração!




  36. Yasminni Tomaz Em 27/07/2016

    Muito obrigada pelas dicas, Ale! São muito preciosas. Ale, tem como configurar o blog pra conseguir ser notificada de posts novos no feedly?
    Obrigada


    Você não está recebendo os posts lá? Eu uso o feedly e realmente na recente mudança de layout deu um bug, mas agora está normal! Delete ele e readicione no seu feedly, veja se funciona!
    bjo




  37. DAYARA DE OLIVEIRA Em 28/07/2016

    Alê,li o seu post na semana passada e amei, mas antes de comentar fui ler um dos livros que você indicou que me chamou muita atenção, no caso, os quatro compromissos e só posso dizer uma coisa,Obrigada! Continue com os textões que amo e sempre vou ler. Beijos.




  38. Elaine Violini Em 30/07/2016

    Estou aqui lendo, estava ausente vivendo a bolha da maternidade e depois a nossa viagem. Amei o texto, quero ler: Arte da arrumação e o ano que em que disse sim.

    Obrigada por compartilhar esse momento tão pessoal. Você surpreende sempre, por isso tenho certeza que os segundo semestre será a recompensa desses cinco anos que você viveu.

    Um beijo com carinho




  39. Elaine Violini Em 30/07/2016

    Estou aqui lendo, estava ausente vivendo a bolha da maternidade e depois a nossa viagem. Amei o texto, quero ler: Arte da arrumação e o ano que em que disse sim.

    Obrigada por compartilhar esse momento tão pessoal. Você surpreende sempre, por isso tenho certeza que os segundo semestre será a recompensa desses cinco anos que você viveu.

    Um beijo




  40. Tamara Em 29/08/2016

    Amei o post, aliás amo as suas indicações de leitura.
    Mas hoje em especial, vim agradecer por ter indicado o livro Os Quatro Compromissos. Que livro maravilhoso! Tocou lá no fundo da minha alma, me despertou o click de algo que já vinha a muito tempo lendo sobre o assunto, mas que não havia me atingido com tanta intensidade e emoção, a ponto de me identificar tanto. Muito obrigada por ser a via para eu chegar a esse conhecimento, foi libertador. Beijos




  41. Andrea Pavlovitsch Em 14/01/2017

    Oi Ale, fazia tempo que não entrava no seu blog. Mas aí eu resolvi fazer o You in Action e vim pescar umas informações aqui e li esse post lindo! Menina, a vida é isso aí, sabemos. Não é nada fácil, mas você (e eu, graças a Deus) escolhemos crescer e aprender com ela. Como você disse, tem dias de largar tudo e ir ver um filme (de preferencia bem bobo), e tem dias de se centrar novamente. Isso não é fácil, tem altos e baixos, mas você tira de letra. Parabéns e mais força na sua linda e inspiradora jornada!




Deixe seu Comentário