ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Amo Branding

Branding pessoal x marketing pessoal: três importantes diferenças!

30 de agosto de 2016

No ano passado, você leu aqui neste post sobre a habitual confusão entre os termos marketing e branding. Ainda há muitas, muitas pessoas que confundem mesmo estas duas ideias – sendo o mais comum usar a palavra marketing mesmo quando se descreve integralmente estratégias de branding.

No âmbito de pessoas físicas, existe o mesmo mal-entendido. Nesta categoria, por sorte, o marketing leva a pior, sendo a expressão “marketing pessoal” usada de forma levemente pejorativa para descrever quem é melhor para alardear conquistas do que para conquistar algo. Uma coisa é certa: o que os chamados marketeiros fazem não pode mesmo ser chamado de branding – a estratégia de posicionamento exige uma consistência que as ações vazias não têm como entregar. E é nesta linha que se baseiam os três pontos-chave de diferença entre os dois conceitos…
obs. note que mesmo a palavra marketing é indevidamente usada para definir os tais casos pejorativos!

Branding pessoal x marketing pessoal

O marketing fala; o branding faz o cliente falar
Um evento, uma propaganda, uma ação no ponto de venda: tudo que é usado para falar que a marca (ou, no caso pessoal, o indivíduo) é boa se chama… marketing! O trabalho que comunica subliminarmente os rótulos de uma imagem – confiável, pontual, criativa – é o branding.

O marketing é pontual; o branding é contínuo
O branding é – ou ao menos deveria ser – o ponto de partida para qualquer ação pontual de marketing. Nem sempre, no entanto, é o que acontece. Pense que o posionamento de marca é um trabalho de formiguinha, dia após dia, que constrói credibilidade de forma coerente. Se um profissional não pratica o que prega, por exemplo, pode-se dizer que está fazendo ações não-embasadas de marketing.

O marketing tem ação-reação; o branding se constrói
Não existe nenhuma chance de se construir um branding em uma semana. Já uma ação de marketing pode, sim, fazer um barulho em questão de horas – com boa verba e/ou bons contatos, é possível aparecer rapidamente. Mas cuidado com o que parece a chance de um efeito imediato: sem posicionamento construído, aumentam as chances da reação se perder no médio prazo! O branding é o dever de casa que sustenta todo o resto.

o que é branding
imagem: @karolyneferro para @agbranding

EXTRA: workshops AG Branding, inscrições abertas para última temporada do ano!
Últimas vagas para a edição do segundo semestre das turmas Branding para Empreendedores e Branding Pessoal. É possível garantir sua vaga no combo dos dois módulos com 10% de desconto ou para cada módulo avulso, como preferir. Os workshops acontecem no dia 29 de setembro, em São Paulo. Todos os detalhes estão neste link.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

  1. Vania Em 30/08/2016

    Ainda terá turma no Rio esse ano?


    Oi Vania!
    A edição de setembro em SP é a última do ano. No Rio, só há uma turma anual, em junho!
    obrigada pelo interesse,
    bjo




  2. Michelle Em 30/08/2016

    Texto ótimo! Um resumo super prático das diferenças! Adorei 😉




  3. Paola Scott Em 30/08/2016

    Adorei o texto!
    Bjs




  4. Priscila Em 30/08/2016

    Texto muito esclarecedor!
    Adorei!




  5. Janeisa Maria Em 06/09/2016

    Como sempre, suas explicações são didáticas e certeiras. Já estou me organizando, quero participar de mais este workshop.
    Beijos




Deixe seu Comentário