ALE GARATTONI

Carioca em SP, leonina, mãe da MH. Este blog é o meu hobby-recreio e aqui você vai ler posts que agradam aos olhos, à mente, à energia. Com beleza, suspiros e leveza! Cuide de sua alma e inspire-se, para ser & fazer melhor.

Amo Branding

Sim, ainda vale muito a pena ter um blog! + informações do workshop AG Branding para Blogueiros no Rio

26 de outubro de 2016

Antigamente, você virava influenciador por acidente, hoje não dá. A cada ano, a produção de conteúdo na internet vai se tornar mais competitiva, porque existe mais pluralidade. (…) Nesse cenário, vão surgir um monte de microinfluenciadores, mas pouquíssimos vão gerar receita direta de publicidade, enquanto outros vão remunerar a sua reputação de outras maneiras.
Edney Souza, o InterNey, em matéria do Draft 

Postei ontem no meu Facebook essa ótima frase do Edney, um dos grandes pioneiros no universo de blogs e hoje especialista em conteúdo digital. Ela endossa o que sempre tento passar nos meus textos e palestras sobre este universo: sim, hoje é muito difícil se tornar um influenciador de massa, desses que alcançam MILHÕES de pessoas pelo mundo, mas abriu-se, então, um novo caminho para quem produz um bom trabalho de nicho – com ótimas chances de ganhos financeiros, inclusive! E já há um monte de gente provando essa teoria por aí…

MAIS: O Que É – e Por Que – Ter Um Blog em 2016

Ao mesmo tempo em que é mais difícil se destacar (a quantidade de opções disponíveis e a concorrência nunca foram tão grandes), pode ser bem fácil aparecer no universo digital: não há mais tanto espaço para fazer as coisas sem planejamento e sem estratégia, mas algumas ações simples – ainda ignoradas por muitos – trazem bons resultados. Porque de nada adianta investir em um layout lindo se você tem um blog lento para carregar, por exemplo. Isso sem contar com o… branding: num mar de urls, ter foco e trabalhar um nicho que te represente é fundamental.

Mais: Para Quem É o Workshop AG Branding para Blogueiros?

AG Branding para Blogueiros RIO

Isso, vale dizer, serve para quem quer ter um blog profissionalmente e também para quem apenas deseja usar essa plataforma como ferramenta de branding pessoal e/ou divulgação – um site de empresa ou profissional liberal que tem um blog dentro tende a conseguir se posicionar bem melhor no Google, além, é claro, de conseguir atrair muito mais possíveis clientes. E é para essas pessoas e com esse objetivo que preparei o conteúdo do workshop Branding para Blogueiros, que se divide em duas etapas: uma com dicas para posicionamento de imagem de marca e outra só com nerdices, como plugins, dicas de layout e tudo mais que aprendi blogando por mais de dez anos!

Depois de quatro turmas entre abril e junho, o módulo Branding para Blogueiros encerra esse ano da AG Branding – em 2017, já adianto, novos módulos, novo formato e uma nova programação estão por vir. Nesta quinta-feira (27.10) acontecem duas turmas em São Paulo, no formato de até 12 pessoas cada {resta uma vaga extra para cada turma, ainda dá tempo, hein!}. Já em novembro, será a vez da primeira edição carioca, com formato levemente adaptado.

Mais: O Workshop AG Branding para Blogueiros É Para Mim?

Então, atenção, Rio: blogueiros que desejam criar ou aumentar a audiência de seus blogs, pessoas que desejam começar um blog e buscam um posicionamento inicial, responsáveis por blogs de marcas/empresas e profissionais & empreendedores que querem usar a ferramenta blog a favor de seus negócios, nos vemos no dia 17.11.16, das 17h30 às 20h30, no Leblon.

Programação, todos os detalhes (local, preço etc) e inscrições já estão disponíveis aqui no site da AG Branding na Sympla. Te espero lá!

branding para blogueiros

imagem praia via Shutterstock

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Amo Branding

Quando redes sociais podem ser negativas para imagem pessoal

23 de setembro de 2016

Aperte o play no vídeo acima e me diga: você se apresentaria assim, como o famoso personagem Super Sincero, em um dia normal no seu trabalho? Pois saiba que muita gente anda fazendo o equivalente ao se expor em redes sociais!

Hoje em dia, todo mundo fala do lado bom de ter perfis em mídias digitais (eu, inclusive). São inúmeras vantagens – a visibilidade, o acesso a pessoas-chave, a possibilidade de comunicação. Mas é preciso citar dois pontos. Com estas ferramentas em mãos, todos somos formadores de opinião, seja em um universo de 50 amigos pessoais ou de infinitos seguidores desconhecidos. E todo mundo quer opinar sobre tudo. As duas coisas são boas, mas, juntas, podem resultar em combinação explosiva.

Redes sociais ainda são novas e todo mundo erra, é natural. Que atire a primeira pedra aquele que não tem um passado reclamão no Twitter ou uma falta de filtro na postagem de fotos no Facebook. Mas, uma década depois da febre do Orkut, já dá para ao menos começar a entender o funcionamento. E ignorar esta necessidade pode trazer danos significativos a sua imagem de marca pessoal.

redes sociais negativas
imagem dislike via Shutterstock

A gente não sabe onde vão parar os prints do que publicamos. A gente não sabe o que vai ser tirado de contexto. A gente não tem entonação como no ao vivo na mesa de bar. Aquela opinião mais inflamada, aquele julgamento que saiu no impulso, aquela palavra pesada que jamais falaríamos no cara a cara, tudo isso pode (e provavelmente irá) ser usado contra os autores do post. Nem sempre por maldade, às vezes é só um reflexo inevitável mesmo – sempre lembro do caso de uma menina que me pediu emprego quando eu trabalhava em revista, mas vivia falando mal de mim na internet para quem quisesse ouvir (poxa, sou humana, dava pra ter boa vontade em abrir esse currículo?).

A gente nunca sabe o dia de amanhã, pra que cuspir pra cima? Veja bem, o problema não é dar opinião. O cuidado é com palavras grosseiras, com comportamento reclamão compulsivo, com pratos cheios pra mal-entendidos e com rótulos negativos que grudam na testa.

A comparação lá no início do post tem essa razão: não adianta dizer que “as pessoas só mostram o lado bom nas redes e você é ‘verdadeiro’ e não vai viver nessa mentira”. Não se trata de viver uma mentira! Trata de se preservar, se auto-editar e deixar de perder oportunidades ou de se queimar a troco de nada. Na dúvida, a pergunta para si antes de se expor em polêmicas é “vale a pena?”. Se a resposta for sim (por exemplo, para defender uma causa na qual acredita demais e/ou para apresentar algo que possa acrescentar para outros), vá em frente. Com educação, com gentileza, com limite. E, principalmente, com respeito ao diferente. Se for só um daqueles nossos dias de mau-humor ou se a consequência não compensar a causa, conte até dez e feche a janela. Você vai se agradecer por isso no médio e no longo prazos.

 


 

Este é o último post da categoria Branding que você lê por aqui! Neste fim de setembro, o amobranding.com.br se muda para dentro do novo site da AG Branding, com postagens todas as quintas-feiras. A separação vai deixar as duas marcas e os dois blogs mais definidos, mais organizados, mais redondinhos – este aqui volta a ser um espaço de recreio, tal e qual na época do It, que tal?! Por falar em mudança e na resistência que ela causa, o post de estreia da nova fase será justamente sobre rebranding, o reposicionamento de imagem de marca! Siga o instagram @agbranding e/ou assine a newsletter lista de avisos AG Branding para ser avisado da estreia. Mal posso esperar por todas as novidades deste fim de 2016!

Redes sociais, rebranding, excelência, branding pessoal, mídias sociais, erros de branding e cases de sucesso estão na pauta do workshop Princípios de Branding para Empreendedores – posicionamento de marca para pequenos empreendedores, profissionais liberais e blogueiros –, que rola na manhã da próxima quinta-feira (29.09) em São Paulo. O módulo especial de Branding Pessoal já tem vagas esgotadas, mas ainda restam três últimos lugares na turma de Empreendedores, que garante um bom panorama geral sobre branding (tem inclusive um mini-tópico sobre Pessoal, para ideia geral deste tema). Para programação, detalhes e inscrições, clique neste link.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Amo Branding

Branding pessoal x marketing pessoal: três importantes diferenças!

30 de agosto de 2016

No ano passado, você leu aqui neste post sobre a habitual confusão entre os termos marketing e branding. Ainda há muitas, muitas pessoas que confundem mesmo estas duas ideias – sendo o mais comum usar a palavra marketing mesmo quando se descreve integralmente estratégias de branding.

No âmbito de pessoas físicas, existe o mesmo mal-entendido. Nesta categoria, por sorte, o marketing leva a pior, sendo a expressão “marketing pessoal” usada de forma levemente pejorativa para descrever quem é melhor para alardear conquistas do que para conquistar algo. Uma coisa é certa: o que os chamados marketeiros fazem não pode mesmo ser chamado de branding – a estratégia de posicionamento exige uma consistência que as ações vazias não têm como entregar. E é nesta linha que se baseiam os três pontos-chave de diferença entre os dois conceitos…
obs. note que mesmo a palavra marketing é indevidamente usada para definir os tais casos pejorativos!

Branding pessoal x marketing pessoal

O marketing fala; o branding faz o cliente falar
Um evento, uma propaganda, uma ação no ponto de venda: tudo que é usado para falar que a marca (ou, no caso pessoal, o indivíduo) é boa se chama… marketing! O trabalho que comunica subliminarmente os rótulos de uma imagem – confiável, pontual, criativa – é o branding.

O marketing é pontual; o branding é contínuo
O branding é – ou ao menos deveria ser – o ponto de partida para qualquer ação pontual de marketing. Nem sempre, no entanto, é o que acontece. Pense que o posionamento de marca é um trabalho de formiguinha, dia após dia, que constrói credibilidade de forma coerente. Se um profissional não pratica o que prega, por exemplo, pode-se dizer que está fazendo ações não-embasadas de marketing.

O marketing tem ação-reação; o branding se constrói
Não existe nenhuma chance de se construir um branding em uma semana. Já uma ação de marketing pode, sim, fazer um barulho em questão de horas – com boa verba e/ou bons contatos, é possível aparecer rapidamente. Mas cuidado com o que parece a chance de um efeito imediato: sem posicionamento construído, aumentam as chances da reação se perder no médio prazo! O branding é o dever de casa que sustenta todo o resto.

o que é branding
imagem: @karolyneferro para @agbranding

EXTRA: workshops AG Branding, inscrições abertas para última temporada do ano!
Últimas vagas para a edição do segundo semestre das turmas Branding para Empreendedores e Branding Pessoal. É possível garantir sua vaga no combo dos dois módulos com 10% de desconto ou para cada módulo avulso, como preferir. Os workshops acontecem no dia 29 de setembro, em São Paulo. Todos os detalhes estão neste link.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…